domingo, 31 de março de 2013

Aquele emocionado e eufórico que vem depois de todos os shows

Pense num homem bonito e multiplique por, sei lá, 37k
Vocês já sabem o que eu vim contar, mas eu gosto de começar do começo, e a história de hoje começa na noite de quinta, comigo assistindo How I Met Your Mother, já em São Paulo. No episódio em questão, Barney convida Ted pra um programa muito, muito errado, e recebe um não como resposta. The Barnacle, no entanto, tem uma dificuldade enorme em ouvir nãos, e logo se colocou a argumentar, ensinando Ted que, diante de algumas situações, a gente sempre deve se imaginar 20 anos depois, contando aquele caso pros filhos. 

Acho essa uma ótima forma de se motivar a sair da zona de conforto e fazer algo que seu juízo perfeito não permitiria, da mesma forma que é um consolo bem razoável quando você se vê diante de uma roubada. Meu feriado foi um misto das duas coisas, com algumas horas mágicas e inesquecíveis ali no meio. 

Vocês lembram de como tudo começou: Killers, top 5 bandas da vida, anos de história, ai que saudades eu sinto da aurora da minha adolescência que reprises de The O.C. não trazem de volta, etc, etc. Lembram do meu amigo tão fã quanto eu? Pegou dengue. Menos de uma semana pro show e ele pegou dengue. Ouviu de Deus e o mundo que era loucura ir pro festival daquele jeito (e realmente foi loucura) e que haveria outra oportunidade. O fato dele não ir ao show não ia acabar com todos os planos, o show iria acontecer, eu e meus outros amigos estaríamos lá, mas não seria o sonho, sabe? O sonho era a gente lá embaixo da chuva ouvindo "All These Things That I've Done" e não ia ser o mesmo se faltasse um pedaço. 

Ontem, depois do show, ele disse que quando eu fosse escrever sobre a noite era pra dramatizar bastante, dizer que ele desmaiou no meio e mais um monte de coisa. Mas acho que só o fato de ter passado as horas de espera do lado dele, a pessoa mais faladeira que eu conheço, sem dizer uma palavra, foi um drama bem verdadeiro e bom de virar história. E quando a gente estava na rua depois do show, o metrô fechado, e táxi nenhum passando, eu só pensava no momento que a gente riria daquilo, contando pros filhos daquela noite em que a cidade que eu tanto amo se mostrou fria e hostil pela primeira vez e como tudo era irrelevante porque as horas anteriores compensaram todo o medo que eu tive de não voltar pra casa - porque eu sou dessas.

Mas depois da doença e antes do medo de dormir na rua, tivemos uma hora e meia sem parar com os pés no chão, gritando alucinadamente e tentando entender como pode Brandon Flowers conseguir segurar um show agitado como aquele cantando, dançando, sorrindo e sendo maravilhoso o tempo inteiro - enquanto no meio de Mr. Brightside, a primeira música, eu já queria ficar sem voz. O corpo quis, mas eu cantei até a garganta doer e pulei tanto que acho que cheguei num estado que meu corpo se movia pra cima e pra baixo por inércia. Não sinto a ponta dos dedos dos pés direito até agora, mas ai que anestesia maravilhosa! 

Foi muito rápido e muito devagar, se é que isso é possível. Eu pisquei e o show acabou, mas ao mesmo tempo sinto que passei uns 3 meses em outra dimensão quando tocou "Miss Atomic Bomb" ou quando Brandon pegou aquele baixo pra cantar "For Reasons Unknown" (sim, o universo leu meu post!). E haja realismo fantástico de Gabriel García Marquez pra me ajudar a descrever os anos que couberam dentro de "All These Things That I've Done", abraçada aos amigos tão amados, nossa música embaixo da chuva fininha, como a gente sempre sonhou que seria.

Acho bem honesto reclamar dos perrengues que a gente passa dentro de um festival, principalmente aqui no Brasil, e uma das primeiras coisas que pensei quando o Killers anunciou o show deles foi: merda, vou ter que ir no Lolla, mas não invejo nenhuma das pessoas que estavam no sofá enquanto eu ficava em posições constrangedoras pra aliviar a dor na coluna, porque transmissão nenhuma capta a energia maravilhosa que rolou durante "A Dustland Fairytale" e quem estava deitado de boa não sentiu a plateia vibrando com "Jenny Was a Friend Of Mine" emendada com "When You Were Young" - essa última que colocou Brandon de joelhos.

E isso eu também vou contar pros meus filhos daqui 20 anos, e espero não perder o raio prateado que consegui pegar da chuva de papel picado, que é pra dar mais emoção pra história. Ou não, né, porque mostrei pra minha mãe cheia de orgulho e ela disse que bom mesmo é a gente ficar feliz com pouco. É uma questão de ponto de vista, mas sei que vou limpar meus coturnos cheios de lama sem um pingo de arrependimento, lembrando the way that golden night was e tendo certeza que ela não faz ideia do que diz.

Porquinha, mas eu que tirei

16 comentários:

  1. Amiga, tenho uma quedinha por relatos de show, porque acho sempre tão emocionante! E me emocionei lendo o seu, não podia ser diferente, ainda mais depois de saber de todos os desesperos que estiveram envolvidos. Tenho certeza que, de tudo o que deu errado, o que fica são os momentos mágicos. E eu arrepiei de te ler narrando.
    E que sintonia! Porque hoje eu a LuhSmile (He!) estávamos lá de papo no café colonial, e ela me narrou altas aventuras dela na Bolívia, tipo escalando e acampando e ficando sem banho porque tinham lesmas no banheiro, e eu pensando que não curto aventuras de jeito nenhum, e que se eu vivesse um troço desses seria só pra ter a graça de contar depois, sentadinha num café, de banho tomado e sem passar frio! E ainda comentei que minha vontade louca de ir no RIR é basicamente isso, porque sei que, no meio do último show, onde eu vou estar suada, com as costas ardendo, sem sentir os pés, eu vou sentir muita raiva de quem está quietinho no sofá de pijamas assistindo a tudo em HD. Mas eu vou poder contar depois, e com detalhes que ficarão marcados nos meus arrepios do momento, que, duvido, nenhum dos outros sentiu!
    Te amo!

    ResponderExcluir
  2. Assisti pelo Multishow e eu, que não sou tãaaao fã de the Killers, achei o show ótimo. Não entendo como tantas pessoas odeiam a banda, é legal, é divertido, são músicas boas e o Brandon Flowers é muito bonito.

    ResponderExcluir
  3. Acho que sou uma espécie de masoquista porque fiquei me martirizando e cantando alucinadamente as músicas daqui do meu sofá, via Multishow. É maravilhoso demais estar presente no show de uma banda que você é infinitamente fã e só pelo fato de você ter ido com seus amigos (ano retrasado fui pro show do Metallica, também fantástico, com meus pais e meu irmãozinho), acho que a sensação foi mil vezes mais incrível. Meu sonho é ir para um show com meus amigos.

    E o Brandon Flowers...ahhhhhh ♥ Só suspiros. Acho que eu ficaria feliz só de estar num ambiente próximo a ele. Hauhaha.

    Beijos :D

    ResponderExcluir
  4. Quando o show vale a pena nada de ruim que acontece antes ou depois contam.
    O que conta mesmo é o que tu sentiu, que deve ter sido algo entre o incrível e o mágico, e o que tu vai contar para os filhos. :)
    A tua foto ficou sensacional, aliás. <3

    ResponderExcluir
  5. Ah, puta merda!

    Eis, como começar um comentário recheado de inveja. Sério, é tanto festival, show, concertos, e o caralho a quatro acontecendo e tudo, tudo TUUUUUUUDOOOO a não menos de um raio de 32411234km de distância da minha casa. Claro.

    Mas vamos ao show do The Killers que é o relatado no post. A $ituação é tão ten$a que nem pelo Multi$how consegui ver. Só deu pra ter uma noção pelo comentário geral do twitter na noite em questão. E AI QUE DOR NO PEITO! Como eu queria estar lá.

    Assim como eu queria esar no the cure semana que vem. e no paul no mês que vem. Choremos.


    Mas ainda há esperanças para o dia 14/09 eu estar lá no Rio, pulando ao som de Offspring. Ou não.

    ResponderExcluir
  6. Eu ADORO sua empolgação com esses shows e fiquei mais feliz ainda porque pela primeira vez na história do universo EU VOU PRUM FESTIVAL, cara. E vai tocar ~~offspring~~ e RAUL FUCKING SEIXAS. CARA.
    Mas não entendi se teu amigo com dengue no fim das contas foi ou não.
    E, ahh... Brandon Flowers <3
    Mas bem que vc podia economizar um money e ir no RIR ver Muse comigo, hein? HAHAHAHAHA
    Luv U <3
    (P.s.: Paloma acabou de confirmar que vai no offspring tbm? AI QUE SONHO!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mayrocs, o problema do RiR é mais o Rio mesmo! Meus pais tem cisma com a cidade e acho difícil demais deixarem eu me aventurar por aquelas terras sozinha, sem ter alguma referência tipo família. Uma pena, queria muito ver o Muse e viver essa emoção com vocês :(

      Excluir
  7. Que legal o post! Adorei seu blog, realmente muito incrível, tem tudo para fazer o maior sucesso; Já estou seguindo, segue o meu também?
    www.espacegirl.com

    ResponderExcluir
  8. Oi. Leio seu blog desde que o Álvaro Pereira Junior falou dele, e acho que foi uma das melhores dicas que ele já deu, mesmo que involuntariamente. Se eu tivesse uma editora, publicaria seu textos. Mas o negócio é o seguinte: desde que comecei a ler seu blog, não tinha percebido de fato que você gosta do Killers, talvez porque eu não ligasse muito pra eles. Acontece que há muito tempo adicionei Mr Brigthside à minha lista de vídeos do Youtube, só que nem fui atrás de mais nada da banda (acho que porque não gosto muito de Somebody told me, mas até aí tá empatado - se bem que sou dos que veem o copo meio vazio...). Enfim, não ligava muito para The Killers, nem sabia que o vocalista se chama Brandon Flowers, nem tinha prestado muita atenção a ele. Só que aí começou a tocar Miss atomic na rádio, e comecei a ouvir repetidamente e... agora, acho que estou vivendo uma paixão platônica. Mas nem era isso que eu ia dizer. Só ia dizer que, enquanto via o show no Multishow (perdi o começo e liguei a tv bem na hora em que estava começando Miss atomic), fiquei pensando que você estava lá, e quando caíram os papeizinhos, pensei que você provavelmente pegaria um (eu pegaria também). Quer dizer, não sei se você sabe, mas você já chegou muito longe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi MaN, que comentário mais querido esse seu! Devia ter deixado um contato pra eu ter certeza que você vai ler essa resposta, mas enfim... Obrigada pelas palavras, fico feliz por gostar do blog e espero que apareça mais vezes :-)
      E já tem o show inteiro no Youtube, assista! Foi demais de lindo! (e meu coração parou um pouquinho quando as coisas no palco explodiram no refrão de Miss Atomic)
      Se quiser começar a ouvir a banda, dê um jeito de baixar o "Sam's Town". Na minha opinião é o álbum mais bacana e completo deles, e deve te agradar mais, se não curte tanto "Somebody told me" e outras coisas nesse estilão.
      Beijo!

      Excluir
  9. Annoca,
    Que post delicioso! Fiquei muito feliz pelo Matheus ter conseguido ir mesmo doente e por vocês terem conseguido chegar ao hotel depois de um perrengue, hahahah! Não assisti ao Lolla, porque não estava aqui, mas certamente jamais sentiria tudo que vocês sentiram estando lá. Quando vi o Maroon 5 ao vivo no RiR pelo Multishow, a emoção foi grande, apesar de eu ter consciência de que não era o mesmo.
    Agora, de Muse e Florence eu não abro mão MESMO!!!

    Beijos <3

    ResponderExcluir
  10. Inveja eterna de você ter presenciado esse show ao vivo e a cores, eu me recusei a ver ele inteiro, mas no final não resisti e peguei desde runaways até o final e foi lindo, AI QUE INVEJA! ):

    E o coturno divo te salvou do lamaceiro do Jockey haha :3 mas queria ter te visto ><
    ai ai

    beijos

    ResponderExcluir
  11. Amiga, não vou dizer que sou super hiper master fã de The Killers, mas adoro as músicas deles. Não sei muito sobre os integrantes nem nada, mas já escuto há algum tempinho pelos mesmos motivos que os seus, haha (Seth curtiria esse comentário). De qualquer forma, acompanhei toda a sua expectativa e animação para esse show. Pude sentir toda a sua emoção e amor pós show também. E, caramba, eu amo ainda mais os textos que essas coisas rendem. Porque eu amo todos os seus textos. E eu adoro vez ou outra vir aqui e reler todos. Enfim, você arrasa. Te amo.

    ResponderExcluir
  12. Não são muito de ouvir música, mas The killers é uma das poucas bandas que eu ás vezes paro pra ouvir. Nunca fui em um show de verdade, imagino que é mesmo uma coisa deliciosa!

    Anna, voltei pra esse mundo de blog! Agora é uma proposta um pouco diferente dos outros que eu tive, mas espero sua presença lá do mesmo jeito (=

    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Nossa, gostei muito do blog. *---*

    tem post novo *-*
    BLOG | SORTEIO | TUTORIAL DE MAKE RÁPIDO - YOUTUBE

    Se for seguir o blog, avisa que eu sigo de volta.

    ResponderExcluir