terça-feira, 14 de janeiro de 2014

A problemática da Jennifer Lawrence

Eu não odeio a Jennifer Lawrence.

Na verdade, eu nem desgosto da Jennifer Lawrence.

Eu não acho a Jennifer Lawrence uma má atriz.

Na verdade, eu até acho a Jennifer Lawrence uma atriz bem competente.

Acho importante deixar tudo isso claro, assim bem pausadamente, com calma, respirando fundo, porque há uns três anos (!) eu inventei de falar mal de um clipe da Avril Lavigne e até hoje (!!) recebo comentários dizendo que sou feia, boba e recalcada por causa disso. O que as pessoas não sabem é que tenho os dois primeiros discos dela tatuados na alma e que dirijo cantando "Complicated" sem medo algum de ser feliz. Por isso, por precaução, acho bom frisar que não odeio a moça, tenho poucas coisas contra ela e torço pra que seja feliz - ainda mais agora que eu soube, com anos de atraso, que ela tem uma longa história com o carinha que fazia o Tony em Skins (que melhorou bastante desde Skins).

Aliás, essa história de recalque já deu, né? Sei lá, será que as pessoas não conseguem conceber que o fato de alguém não amar alguma coisa pode significar pura e simplesmente que ela não ama aquilo tanto assim? Tipo, meu melhor amigo odeia Friends e odeia Strokes, mas nem por isso eu fico dizendo pra ele que é só recalque por ele não ser tão engraçado como o Chandler ou tão gato como o Fabrizio Moretti, sabe. São coisas que acontecem.

Toda essa lenga-lenda pra dizer que eu não amo a Jennifer Lawrence e nem acho ela a pessoa mais legal do mundo. E isso, queridos leitores, faz com que eu me sinta uma aberração na internet. Basta a moça surgir no tapete vermelho pra todo mundo começar a querer colocar a mãe no eBay em troca da amizade da moça. E ela aparece cheia de caretas, fazendo gracinha, fugindo do protocolo e fazendo de conta que não está nem aí pra nada, como um Twitter de zoeira na vida real, como uma sequência de gifs esperando para estampar um destaque no BuzzFeed. Chega uma hora que isso cansa. Ela é inegavelmente carismática, mas não compro essa espontaneidade simplesmente porque quando um microfone chega na moça e você sabe que ela vai fazer graça, sabe que ela vai dizer algo pouco convencional e sabe que ela vai tirar sarro de alguma convenção hollywoodiana, isso deixa de ser algo tão espontâneo assim. Inusitado pra mim é ver Emma Thompson apresentando uma categoria descalça, bêbada, Louboutins em uma mão e drink na outra ou Amy Poehler recebendo o Globo de Ouro e declarando: eu nunca ganho, então não acredito que ganhei, claramente desconsertada.

Até porque algumas coisas que ela diz me parecem saídas da cabeça de alguém que podia ter colocado um Rivotril embaixo da língua (piada ótima que vi no Twitter ontem e esqueci a autoria) mas esqueceu. Como na explicação para o tombo que ela levou no Oscar, que chegou nas manchetes brasileiras como se ela estivesse pensando em bolo e caiu, mas na verdade, segundo a moça, o stylist avisou kick, walk e ela confundiu com cakewalk. Gente. Por favor.

E mesmo que ela estivesse pensando no raio do bolo (e olha que eu colocaria muita gente no eBay em troca de bolo), quem pensa nisso depois que ganha o primeiro Oscar da carreira? I rest my case.


Oscar é um outro ponto sensível. Me irrita o fato da atuação dela ser tão superestimada pela indústria e pela Academia, principalmente quando eu vejo tanta gente boa ser subestimada. Assisti Inverno da Alma, os dois Jogos Vorazes e O Lado Bom da Vida e embora eu concorde que o trabalho que ela entrega em todos eles seja bem honesto, pra mim nunca foi algo memorável ou que valesse um Oscar. Uma indicação, talvez, mas sair com um Oscar embaixo do braço por conta de O Lado Bom da Vida? Caras, menos, bem menos. Se fôssemos seguir esses critérios, Julia Roberts, Meg Ryan e Michelle Pffeifer deveriam exigir um prêmio de life-time achievement cada. Não assisti American Hustle ainda e pode ser que eu mude de ideia, mas por enquanto a única que tá liberada a ser indicada em tudo quanto é premiação é a Meryl Streep. E sobre ela, Cameron Tucker explica melhor que eu:


Por fim, uma pequena polêmica: eu sempre, SEMPRE, vou dar a maior força para quem coloca em xeque alguns padrões de beleza. Eu nunca vou ser contra uma mulher que serve como modelo para que as mulheres sejam mais felizes com seus corpos. E J.Law é uma dessas embaixadoras de um modelo positivo do corpo, e isso me deixa muito feliz. No entanto, li dois textos recentemente que questionam não as intenções dela, mas a mensagem que essa postura pode passar se analisarmos mais de perto. Quem levantou a problematização original foi a Jenny Trout, do Huffington Post, que comparou a Jennifer Lawrence, que já declarou cem mil vezes que odeia dieta, come sem parar e adora junk food, com a Melissa McCarthy, uma atriz gorda que sustenta uma postura meio apologética com relação à própria aparência, ao declarar que possui hábitos alimentares saudáveis, etc. Ou seja, a gente acha a Jennifer corajosa por dar uma banana pras loucuras da patrulha da imagem, mas esquecemos de que, querendo ou não, ela é maravilhosa e tem um corpão. Ok que tem uns lunáticos que insistem em dizer que ela é gordinha, mas no mundo das pessoas normais é evidente que não. Será que se a Melissa McCarthy saísse por aí falando que adora junk food e que vai mandar se foder o primeiro que sugerir uma dieta todo mundo ia achar tão bonitinho, engraçado e irreverente ou a patrulha da vida saudável chegaria cheia de ressalvas?

When it comes to body image, we allow thin and beautiful women to love themselves or claim to not care about beauty standards, and then call them brave for doing so. On the occasion that we laud fat women (or women who are considered ugly in any capacity) for their self esteem, we do in such a patronizing way that it’s very clear that she loves herself in spite of a glaring shortcoming that we’ll continue to point out. Every time Jennifer Lawrence and other female celebrities claim that they don’t care that she’s “chubby,” she makes it clear that chubby is less desirable than the way she actually is, which is conventionally perfect.



Resolvi escrever esse post porque toda vez que falo qualquer coisa dessa mulher vem alguém tirar satisfação, como se eu devesse alguma. E como é um saco explicar isso em 140 caracteres para 15 pessoas diferentes, agora já tenho um link pronto para futuros esclarecimentos. Meu problema com a Jennifer Lawrence é que ela não é a atriz mais legal do mundo, nem a mais espontânea, nem a mais corajosa e nem a melhor, mas a internet me enfia isso goela abaixo todos os dias. 

Mas no fundo eu juro que queria gostar dela tanto quanto vocês, acho bonitinho. Eu sei que não parece, mas no fundo eu sempre prefiro gostar. 

43 comentários:

  1. Eu adoro a Jennifer Lawrence. Mesmo. Gosto da atitude dela em relação a essas pessoas absurdas que acham que ela é gorda e "vem falar de dieta", gosto de como ela claramente não se leva muito a sério e, aparentemente não tá nem aí pra o que vão pensar (se não ela não iria pro Globo de Ouro com ~aquele~ vestido, iria? Quer dizer, sei que ela garota-propaganda da Dior e não sei como as coisas funcionam, mas... Aquele vestido não dá). Já achei ela mais espontânea, hoje acredito que ela deve dar uma forçadinha mesmo, mas nem ligo. Gosto de quem ela escolhe ser nessas premiações, nas entrevistas e tudo mais. Queria que fosse minha miga, inclusive, mas não estou disposta a vender minha mãe no eBay, não. E não acho que o jeito J.Law de ser é o único de ser uma atriz 'legal'. Aliás, na época do Oscar no ano passado, li um artigo em um algum lugar se perguntando por que as pessoas amavam tanto a moça, mas falaram mal e ridicularizaram a Anne Hathaway por causa da maneira como ela recebeu o Oscar dela, sendo que ela parece uma das pessoas mais fofas de Hollywood? (Queria que fosse minha amiga também).

    Mas acho a coisa mais chata do mundo quando alguém tenta me enfiar alguma coisa goela abaixo, então super entendo. Gente, só porque eu não gosto de uma coisa que você gosta não quer dizer que eu queria que ela fosse exterminada do mundo, ou que estou te julgando por gostar de tal coisa, ou que você não tem direito de gostar da maldita coisa. Daí, a gente só espera que a pessoa que gosta da tal coisa deixe a gente continuar a não gostar ou ser indiferente. (E, por sinal: mesmo amando Jennifer Lawrence, às vezes nem eu aguento mais o hype em volta dela. Tem limites, né, gente. Às vezes a internet acaba me fazendo desistir de amar alguma coisa de tanto que a coisa é jogada na minha cara, então, bom. Entendo).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda, adorei seu comentário! Você falou de um ponto super importante que eu esqueci de colocar no meu texto: Anne Hathaway. Eu li esse texto comparando as duas e eu acho que o movimento é mesmo muito parecido. Os artistas infelizmente precisam criar uma persona hollywoodiana, e acho que a persona tanto da Anne como da JLaw é essa de não se levar a sério, fazer graça, desconstruir o estereótipo de estrela, etc. E acho que uma hora a ~grande mídia~ (e consequentemente, o grande público) vai encher o saco da Jennifer, como encheram com relação à Anne. Não é que ela tenta demais, mas é que isso uma hora deixa de ser engraçado pra ser algo rotineiro e bem enjoado. Eu acho.
      Ainda quero ser BFF da Anne, mas acho que é porque o que O Diário da Princesa une nem Hollywood separa, hahaha.
      Beijo!

      Excluir
  2. Amiga, que post mais necessário. Vontade de imprimir de distribuir na rua. Vamos por partes: primeiro, super concordo com você sobre o fator "recalque". Fico verde de raiva quando eu critico algo e a pessoa responde com um ''isso é só recalque'' - e, muitas vezes, é uma crítica a algo que eu gosto, porque para falar mal eu tenho que conhecer minimamente o objeto. O fato é que ou você defende algo com todas as forças, sem enxergar nenhum possível deslize, ou você é recalcado. Queria tanto deletar essa palavra do universo, você não tem noção.
    Sabe que um dos motivos pra eu não ter assistido ao Globo de Ouro foi justo esse mimimi na internet em volta da JLaw? Não aguento mais, sério. Eu ia me sentir totalmente out do twitter quando ela aparecesse, porque eu não ia ter nenhum elogio pra fazer - pelo contrário, ia zoar eternamente aquele vestido piada pronta. E eu super concordo com você que essa "espontaneidade'' dela já deixou de ser espontânea há tempos, a partir do momento em que se tornou previsível. E eu não preciso comentar sobre essa do bolo, né?
    Aí você tocou no meu ponto sensível, naquilo que quando me fez desgostar dela: o Oscar do ano passado. Eu não sei pra quem você torcia, mas eu quase fiz buttons da Naomi Watts. Não posso opinar sobre todas, mas eu garanto que a Naomi fez um PUTA trabalho em O impossível - se não merecia o Oscar, com certeza merecia mais que a JLaw. Eu peguei birra de O Lado bom da vida porque simplesmente a atuação foi boa, mas não foi isso tudo - aliás, ela vai seguir interpretando apenas personagens meio doidas se isso render mais um Oscar esse ano?
    E cara, mil RT em você sobre o lance dela em relações aos padrões de beleza. Outro dia, inclusive, vi a garota falando que é extremamente contra dietas e que NUNCA fez uma na vida. Quem quiser que acredite, mas eu mesma não compro a postura de uma pessoa que afirma que nunca, nem uma vezinha sequer na vida, fechou a boca em prol de um quilinhos a menos.
    E, por fim: NÃO, a Jlaw não é a atriz mais talentosa dessa geração. Não aguento mais ouvir isso.
    Amiga, amei tanto o seu post que já li e reli, ao ponto de obviamente usar a sua caixa de comentários para desabafar tudo que estava preso no meu coraçãozinho.
    Te amo depois dessa <3

    ResponderExcluir
  3. Cara, eu nunca fui grande fã dela. Acho ela fofinha e tal, mas sempre achei muito forçada. Inclusive, acho a Katniss dela bem fraquinha. Tô feliz porque parece que finalmente a galera que nunca achou ela uma Brastemp finalmente resolveu abrir a boca.

    ResponderExcluir
  4. Amiga, te amo ainda mais depois dessa, pois além de resolver o seu problema, você resolveu o meu. Nunca mais tenho que justificar merda nenhuma que os outros chamam de recalque, vou apenas jogar esse post! Brasil, eu não amo a mulher, o que não quer dizer que odeio! E o que me irrita mais é que eu começo a desgotar da moça só por essa idolatria que rege sua vida. Não porque eu gosto de ser do contra, mas porque as pessoas superestimam a cidadã. Oscar por existir, realmente, só Meryl Streep. E no meu caso, Emma Watson. Mas acho ela o máximo porque amo e quero achar, não vou ficar enchendo o saco dos outros. <3

    ResponderExcluir
  5. Eu curto a JLaw, assisti alguns filmes com ela e acompanho o trabalho dela mesmo antes de Jogos Vorazes. Acho ela engraçadinha e queridinha, além dela ter uma beleza ~diferente~ (tem alguma coisa no rosto dela que eu acho muito diferente), mas não sou xiita e concordo com praticamente tudo o que você falou sobre ela, e, principalmente, na parte do recalque. Tudo é recalque hoje em dia. Me dá uma raiva sem explicação. :(

    Eu ainda torço pela J nesses prêmios porque acredito que ela tem muito o que mostrar, especialmente considerando que ela é bem competente com todos os trabalhos que ela faz. Mas no começo eu achava ela demais, e agora eu acho ela okay, apesar de ainda curtir bastante ela. Ela parece forçar algumas situações e alguns comentários, e muitas vezes dá vontade de fazer com que ela coma um boi pelas pernas, sem reclamar, só pra ela parar de falar em comida. E toda essa atitude fez ela perder um pouco do brilho pra mim. No começo era fácil se relacionar com ela porque ela quebrou o paradigma de garotinha certinha de Hollywood, mas agora essas mesmas atitudes já encheram o saco porque parece que ela quer incessantemente mostrar que não tá nem aí pra nada... e isso é chato.

    ResponderExcluir
  6. Sensacional seu texto! Confesso que no Oscar nem sabia quem ela era, e também nunca falei nada sobre, porque acho que não vi nenhum filme com a moça e não acompanho eventos, só os gifs mesmo - logo, nem opinião sobre ela eu tenho.
    Como seria bom gostar desse jeito sem encher o saco dos outros que nem gostam tanto assim, pelo que parece, ela virou um ser divino num pedestal e seus fiéis seguem rumo às cruzadas contra quem quer tirá-la da ideia de divino.
    É chato isso, e não é só ela a divindade hoje em dia. Espero que os haters compreendam seu texto, porque tem gente que nem desenhando né...
    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Ah, eu gosto bastante da Jen. E de verdade, não consigo não acreditar que ela seja espontânea, porque seria um pouco demais pensar 'o que é que eu vou fazer agora para ser engraçada?' Ninguém age assim na vida e tampouco ela agiria. Claro, concordo que muito do que ela faz é pura palhaçada, mas so what? É o jeito dela, até mesmo bem longe das câmeras (principalmente, aliás), vide as brincadeiras que ela vive fazendo com os meninos de Hunger Games, Josh e Liam. Tudo off, a apenas ouve falar e fica imaginando, mas de resto, são só eles se divertindo.

    Lógico, você tem todos os direitos do Brasil de não curtir a moça, mas de verdade? Essa história dela ser fake ou forçada, já considero recalque. (BRINCADEIRA, só quis dar uma de Jen, hahaha, não me odeie, Anna!).

    Sobre a forma física e tudo mais, bem, eu sinto discordar mais uma vez, mas ela está a quilômetros de distância do que Hollywood e o mundo inteiro consideram como 'padrão de beleza'. Ela não tem o corpo perfeito. Como você disse, ela tem corpão, que na indústria de celebridades, é considerado 'pura gordura'. Fora do Brasil, ninguém acha legal ser 'gostosa'.

    A Jennifer tem os braços gordinhos, muita bochecha e pernas e barriga flácidas e gorduchas. Claro, isso não faz dela gorda ou sequer próxima do manequim de Melissa McCarthy.

    Mas é o corpo que ela tem. Ela não pode engordar só pra poder dizer 'agora sim, gente, agora eu sou gorda e me aceito!'. Ela apenas está lutando para ser aceita da forma que ela é, que não é gorda, nem magra, é apenas...ela. Não é isso que nós fazemos todos os dias? Se eu, que sou magrela, começar a fazer discursos de auto-aceitação, de repente eu tô errada?
    Acho que cada um de nós temos as nossas próprias batalhas para lutar, em relação a autoestima, aceitação e liberdade de ser quem somos.

    A batalha da Jennifer não invalida a da Melissa, as duas podem coexistir tranquilamente e na verdade, até se complementarem. A mensagem final é que não importa o corpo que você tem, não importa mesmo: ninguém tem o direito de julgar a sua forma, a sua beleza, etc.

    Eu não sei nada da vida da Melissa, não acho que ela seja uma boa atriz ou sequer engraçada. E talvez por isso as pessoas não façam todo esse oba oba em cima dela. A Jennifer, por outro lado, é uma combinação de bom-humor, aceitação e espontaneidade. Algo diferente do que temos visto há tantos e tantos anos na mídia. Se existissem tantas atrizes iguais ou melhores do que ela em termos de personalidade, acho que o frisson não seria tão grande.

    Mas é que as pessoas estavam sedentas de gente de verdade. E com isso, eu não estou querendo dizer que elas não existam, só que são raras. Tina Fey, Amy Poehler, Anne Hathaway, Robert Downey Jr e tantos outros não me deixam mentir. E o frisson em cima deles é tão grande quanto em cima da J-Law. Provavelmente, a única diferença aqui é que ela é jovem e os seus fãs tendem a serem um pouco mais exagerados que o restante.

    No mais, gosto é gosto. Ninguém é obrigado a gostar de ninguém. Graças a Deus.

    ResponderExcluir
  8. Anna! Disse tudo!

    Eu sempre sofri quando dizia que não curtia ela, e quando fiquei bastantemente irritada por ela ter ganhado o Oscar (que pra mim, deveria ter sido da Emmanuelle Riva sem nem discussões.

    Pra falar a verdade, ela me irrita. E não, não é recalque! Como você disse, desejo só felicidades pra ela e tudo de melhor muitos anos de vida etc. Mas não venderia ninguém no e-Bay pela amizade dela, mas é nunca.

    ResponderExcluir
  9. Anna, eu juro que senti um alívio ao ler o seu texto. Eu precisava dele. Eu não tenho nada contra a Jennifer Lawrence, mas sempre a achei superestimada. Quando eu vi pessoas a comparando com a Natalie Portman eu quase morri. Por favor, menos, gente!

    ResponderExcluir
  10. Ah, eu gosto tanto dela... é bom ver gente realmente animada em receber prêmios, um pouco de fresh blood. Os outros atores já agem como se fosse obrigação serem premiados e amados. Ela acha novidade e maravilhoso, ainda fica nervosa e surpresa. E não fica neurótica com a imagem, sabe fazer uma piada e rir de si mesma.
    vc não precisa amá-la. muitos a amam por vc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo completamente! E outra, você tem que aprender a falar por você. Pra você ela pode não ser a atriz mais legal, nem uma das melhores e tal. Mais pra outras pessoas pode ser.

      Excluir
  11. Antes de tudo: preciso discordar bastante da moça acima que disse que existe hype em volta da Amy Poehler. Quantas temporadas Parks tem? Há quantas ela merece um Globo de Ouro? Só ganhou esse. E ela sim merecia hype porque é uma das pessoas mais engraçadas do mundo. E outra pequena discordância: Melissa McCarthy <3 <3 <3 Desde Gilmore Girls e para sempre.

    Primeiro de tudo: eu te amo.

    Segundo de tudo: J-Law não mereceu o Oscar do ano passado nem por um (não vou escrever palavrão no seu blog, mas você entendeu).

    Terceiro de tudo: ela é boa atriz, mas nunca me empolgou e eu preciso me empolgar com atuações, principalmente pra achar que a dita-cuja merece o Oscar de melhor atriz. Acho o mesmo da Michelle Williams, por exemplo.

    Quarto de tudo: Não tenho nada contra J-Law, nem gosto nem desgosto, mas essa idolatria tem me irritado demais! Sobre a 'espontaneidade' forçada? Você não poderia ter usado coisa melhor que os cards Emma Stone e Amy Poehler.

    Quinto de tudo: Achei divina essa explanação sobre a coisa do corpo.

    Sexto de tudo: Ainda me surpreendo ao constatar que sou amiga de uma pessoa tão incrível quanto você. Beijos <3

    PS: Hum, eu acho que o carinha que fazia o Tony (Nicky Hoult para as íntimas) já era bom em Skins, mas confesso não ter entendido se você tá falando de beleza ou talento, hahaha. E não fazia ideia desse babado forte aí o.o

    ResponderExcluir
  12. Annoca, li seu texto durante a aula de direito e fiquei doida pra comentar, mas escrever no celular me dá coceira e, bem, eu sabia que me comentário seria enorme. Primeiro de tudo, concordando com Tary: "Melissa McCarthy <3 <3 <3 Desde Gilmore Girls e para sempre." Apenas isso.

    Eu sou uma das pessoas que passou do team "não gosto da JLaw" pro team das que "gostam da JLaw". Não é um gosto de gostar pra caramba, de amar muito à ponto de uma idolatria cega ou qualquer coisa do tipo. Gosto tipo a moça é boa, é uma das melhores da geração dela (junto com várias outras, e não a melhor isolada), adoro a coisa toda da crítica à imagem corporal que você citou no post e amei quando ela deu um chega pra lá no Fashion Police (apesar de ela ser magrela e ter uma stylist e, enfim, colocar a boca no trombone já dá alguns pontinhos pra ela).

    Gosto também das entrevistas dela, embora em algumas tenha a leve impressão de que ela tenha esquecido daquele 1/4 de Lexotan indicado pra evitar pequenos vexames públicos e, enfim, eu gosto dela, mas não amo. Gosto, mas não acho que ela merecia um Oscar. Gosto, mas acho que ela força a barra em diversas coisas. Gosto, mas tenho tanta birra de quem a defende com unhas e dentes e não admite opiniões contrárias que é por isso que minha birra, antigamente, era com ela. Eu superei isso, e hoje claramente consigo dizer que gosto de Jennifer Lawrence, apesar de toda essa idolatria desenfreada que ronda a menina. Foi só depois de entender que ela e os fãs são coisas totalmente distintas que eu comecei a ter simpatia pela menina, porque quanto mais tentavam me enfiar goela abaixo a garota, mais eu tinha ódio da situação.

    Mas por favor, esse seu texto é tão de utilidade pública e serve de base pra tantas outros exemplos que nem sei como não amar <3 (tipo quando digo que não curto Taylor Swift e meu twitter vira rinha de briga de galo #chatielly)

    ResponderExcluir
  13. Eu gosto da J-Law. Mas não a idolatro. Aliás, não idolatro ninguém, a não ser Audrey Hepburn que mora no meu coração <3.
    Eu não acho que ela seja A melhor atriz dessa geração, mas é uma das boas, sim. Aí eu faço algumas comparações com a Emma Watson (que eu não gosto e acho superestimada demais, sim, pq ela não é boa atriz e nem vou discutir isso) e o povo cai dizendo que é recalque. Bom pensem o que quiserem, né? Mas aprecio a sua revolta; às vezes enche o saco mesmo e é bom a gente desabafar o que incomoda.
    Seu texto é louvável, sério mesmo. Talvez a gente não concorde com tudo, mas dá pra concordar que cada um tem as suas preferências e não precisam chamar de recalcada só pq tem discordância, não é? :)

    Bjins =***

    ResponderExcluir
  14. Pode ser comentário pequeno? Porque só tem comentário imenso aqui rs.
    Comentando pra dizer: Concordo!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Vim aqui só falar que até hoje desconsidero o papel do Tony, em Skins, porque esse menino fazia o MARCUS DO GRANDE GAROTO. MELHOR FILME DO MUNDO.
    http://4.bp.blogspot.com/-oYHG3nTgKOI/UAdTdhk4BSI/AAAAAAAAAc0/5LbYpr8e9NA/s640/About%2Ba%2BBoy%2B-%2B04%2BMarcus%2B2.jpg

    E nem vemos Hugh Grant ganhando Oscar por fazer papel de mocinho errado em comédia romântica... #couthacida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabi,
      eu.não.sabia.disso.
      achei que o Marcus tivesse parado no tempo, cantando killing me softly with his songs. Mas não, o menino cresceu e tá pegando a JLaw, grande digievolução.
      (que mania essa minha, de achar que os atores ficam congelados no tempo, mesmo que, bem, eles tenham a mesma idade que eu rs).

      Ah, Anna, obrigada pelo post. Acho a menina Jennifer uma gracinha, engraçadinha e, obg Deus, alguém que não se leva a sério demais, mas 1: já deu; 2: "o lado bom da vida" nem é isso tudo. Fico feliz de saber que não sou a única que achou que o Oscar foi too much.

      Excluir
  16. Uma coisa que temos em comum e vibrei quando li no seu post, é sobre os albuns da Avril Lavigne. Também tenho eles tatuados na minha alma e desde 2003 canto como se fosse um cd novinho, que tivesse acabado de lançar e-que-ninguém-sabe-cantar. Enfim: recalque é outra coisa e todo mundo generalizou essa merda toda pra justificar que falar mal automaticamente é recalque. Esqueça essa coisa de recalque, nem leva essa carga pra você.
    Sobre a Jeniffer, bem, quero que ela e o dinheiro dela se exploda. Simples auhuhauha.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  17. Eu concordo tanto com as coisas que você disse que estou pensando seriamente em imprimir esse post e usar como papel de parede no meu quarto.

    ResponderExcluir
  18. Anna Vitória, seu texto é SENSACIONAL! Vc disse tudo o que eu penso!!!!
    Bjs e parabéns

    ps.: rindo com o comentário da Madu aqui em cima HAHAHAHAH

    ResponderExcluir
  19. UHUL. Finalmente alguém conseguiu organizar/escrever/explicar boa parte da minha opinião sobre ela.. Quando alguém me olhar com cara de louca/recalcada/invejosa/cretina por não concordar que ela é a nova musa inspiradora do cinema vou mandar esse link!! Obrigada Anna

    ResponderExcluir
  20. RECALQUE!!!!!!!!!
    Aquelas. hahaha
    Sabe que eu super gosto dela, acho fofa, boa atriz e tudo. Mas também não amo.
    Não acho que ela atuou tão bem a ponto de ganhar o Oscar, apesar de estar ótima no filme. Ao mesmo tempo, não lembro de ter assistido os outros indicados, talvez ela tenha sido a melhor mesmo.
    Enfim, eu amo mais a Emma Stone <3 (acho que são tipo duas farinhas do mesmo saco).
    Quanto a história da dieta, acho super glorioso quando famosas ligam esse fodasse, mas aí tô eu aqui gordinha olhando pra essa bitch magra e pensando 'ah claro, se eu pudesse me entupir de fast food e ficar gata q nem tu...'. Não to dizendo q ela tem q participar da ditadura da beleza nem nada, mas pode ser q algumas gordinhas por aí se sentem mal ao ver essa gata gostosa falando esse tipo de coisa. Porque nem todo mundo pode comer Mc Donald's e usar um Dior sabe...

    ResponderExcluir
  21. Annoca te amo pela sua diplomacia, porque se alguem fosse tirar satisfação comigo por causa de alguma coisa que eu simplesmente não gosto eu ia mandar se foder lindamente porque não tenho paciencia. E super vejo o seu lado, eu nunca vi nada da moça a não ser trailers e alguns gifs então não tenho muita opinião sobre ela, seja positiva ou negativa, mas quando se tem e ficam enchendo o saco por isso... Ai ai ai. Mas você é diva e samba na cara da polícia do recalque com esse post lindo haha

    beijos <3

    ResponderExcluir
  22. NOSSA SENHORA DOS MELHORES POSTS DO MUNDO! Antes de mais nada, o recalque. Aquela palavra que deixou de ser engraçadinha e se tornou motivo de desprezo. O que dizer de gente que usa "recalque" como argumento? Desprezível. É o que você disse: às vezes - muitas vezes - dizemos que não gostamos de algo por um único motivo: não gostamos mesmo. Mas nem todo mundo tem maturidade suficiente para entender que, em um planeta lotado de pessoas, muitas delas simplesmente NÃO pensam da mesma forma e NÃO gostam das mesmas coisas. Jennifer Lawrence é linda, atuou bem, fez uns papéis bem legais e tal. Mas ela é uma atriz. Para mim, para você e, inclusive, para seus fãs/admiradores/vendedores de mãe no eBay em troca da sua amizade, ela é uma atriz e só a conhecemos como atriz. Ok que podemos curtir o jeito de uma pessoa ser em entrevistas, premiações e todo esse universo das celebridades. Isso não significa que possamos dizer "adoro a personalidade Jennifer Lawrence". Ou qualquer outra celebridade. Tudo faz parte da profissão. Tenho por mim que, enquanto houver uma câmera, haverá atuação. Nenhum artista será 100% ele, enquanto estiver sendo filmado, muito menos a Jennifer Lawrence. Uma atriz super "correta" pelos padrões impostos, pode ser uma palhaça chocólatra quando chega em casa. Outra atriz engraçadona viciada em junk-food pode muito bem ser uma chata saudável. Nós somos, para os outros, o que queremos ser e tudo isso se torna mais fácil se você for uma atriz linda, dona de um corpão. E ainda mais fácil se o seu público não tiver como saber das suas atitudes na intimidade. Sabe, eu já não sou fã de pessoas engraçadas. Acho muito bacana quando uma celebridade faz uma piada, quebra algum tabu, não segue algum padrão e coisas assim, mas quando o padrão da pessoa é não seguir padrões, não dá para mim. Ai que monótono. E, se todo mundo fica endeusando o palhacinho, aí mesmo que eu dispenso o circo. Não que eu seja aquelas pessoas porre que não gostam do que todo mundo gosta. Eu só não tenho paciência com quem diz que gosta, só porque todo mundo está gostando. Se ela é forçada ou não, embora eu acho que seja porque ninguém consegue ser assim sempre por natureza, não posso afirmar nada. E, se for, também não a julgo. Cada um com suas estratégias e digamos que essa foi muito boa. Mas nada é tão bom que não possa ser ruim, né? E olha, prefiro ser uma pessoa anônima, viu? Imagina só se o mundo todo ficasse fazendo o que estamos a fazer, avaliando e julgando minhas atitudes, cruz credo! Deve ser difícil ser famosa.

    ResponderExcluir
  23. Concordo demais com você, Anna! Não propriamente sobre a atriz, porque ainda não tenho opinião formada sobre, então não faço ideia se sou do time que não vê nada demais nela ou do time que gosta muito. Mas, realmente, o que você disse a respeito do Oscar é exatamente o que eu penso. NUNCA imaginei que ela ganharia. Talvez no futuro, mas não agora. As vezes tenho a impressão de que tem tanta atriz só sendo bonita e fazendo um papel mais ou menos nos filmes, que uma que é bonita e, de bônus, trabalha direitinho, já sai levando o Oscar. Mas não é assim que deveria funcionar não! E pensar que é a mesma estatueta que a Meryl já tem até intimidade... desaponta um pouco o nível que chegou, sério.
    Sobre os comentários dela sobre comida, acho lindo ela dizer não se preocupar e ser feliz comendo o que quiser, mas isso é pra quem pode! Se todas as mulheres começarem a não se importar e comer fast food o tempo todo e sair por aí pensando em bolo, não vai dar!
    Não defendo a ditadura do corpo magro (nem tenho o direito, porque né... haha), mas também não defendo comer qualquer coisa o tempo todo não! No é toda mulher que nasce com a benção do metabolismo acelerado!
    Enfim, adorei a proposta do post!
    Beijão! :*

    ResponderExcluir
  24. Oii Anna,
    esse seu texto é uma benção, porque eu achava que era a única criatura solitária que acha ela bacaninha, mas não fodona; e que o Oscar que ela ganhou foi absurdamente precoce e não merecido. Obrigada por me fazer sentir normal! haha

    A internet tem muita culpa nisso, eu acho. É um lugar onde frequentemente tem alguém sendo endeusado ou crucificado severamente. Acho que consigo me manter na margem.

    Sei lá, eu gosto mais da Sandra Bullock ( sim, da Meryl ♥).
    Beijão ;*

    ResponderExcluir
  25. Recalcadas. Simples assim.

    ResponderExcluir
  26. Um dos melhores posts que eu já li sobre o ~fenômeno. É bem isso aí. Eu ainda acho que em tempos dessa chatice generalizada, a J-Law soube fazer duas coisas muito bem: 1) ser menos chata 2) aproveitar que ser engraçada tá na moda e levar isso pra discussões um pouco mais interessantes. Não achei que ela mereceu Oscar pelo Lado Bom - mas está incrível em Trapaça, por exemplo, e Inverno da Alma. A Academia, ao meu ver, tá tentando deixar tudo com um ar mais jovem e descolado, então é bom ter uma embaixadora do rolê. MAS GENTE CALMA, que ninguém é, como você disse muito bem, "o twitter da vida real" o tempo todo. Tem que se esforçar MUITO. E daí, se rola esse esforço todo, bom... Dá preguiça.

    Ah, só pra ser chamada de "recalcada" (também quero!): eu tenho preguiça da Meryl Streep. Pronto, atirem as pedras!

    ResponderExcluir
  27. ETA POST POLÊMICO AMÉM
    Não sei se já disse, mas adoro a JLaw. Tenho bastante consciência de que tem todo uma assessoria por trás de toda a espontaneidade dela, mas vamos ser sinceros, quem em Hollywood não tem? A grande verdade é que não conhecemos nenhuma daquelas pessoas e se for pra simpatizar com alguém, vai ser com alguém que prega o amor pela comida por aí e pratica o photobombing periodicamente.
    Agora, com toda minha simpatia por ela, o Oscar por O Lado Bom da Vida foi bem risível. Mas Oscar, realmente, amgs vamos conversar. Mas como ano passado não tinha nenhuma torcida formada, até fiquei feliz. Já esse ano estou muito Team Lupita pra ficar feliz por ela.
    O grande problema é a falta de maturidade pra encarar críticas aos próprios ídolos. Vivo ouvindo falarem mal de pessoas que eu admiro, mas não grito um RECALQUE imediato. É importante ouvir os argumentos das pessoas sobre isso. Maturidade sdds mts sdds.
    Sobre a problemática do padrão de beleza, vi a seguinte crítica ao artigo do HuffPost, que é basicamente o que eu penso sobre o assunto: "Look, here’s the thing. I basically agree with what the author is saying but I feel like everyone is so quick to either tear down celebrities OR put them on a pedestal. Jennifer Lawrence has the right ideas but is kind of inarticulate or speaks a little too quickly. The “I don’t want girls to skip meals to look like Katniss” quote is awesome. The “Are you going to be hungry every day to make other people happy? That’s just stupid!” is a little problematic cause it makes it sounds like people obsessed with weight loss just aren’t smart enough to stop - but I get her point and I’m sure if you said that to her she’d be like “What? No! That’s not what I meant!” Plus talking about food all the time is a certain defense mechanism and way of talking about it that works in public so why wouldn’t she keep doing it for interviews etc. I mean she’s what, 23? No need to tear her apart because she’s not crafting think pieces on a crusade we as a society have for some reason chosen her to lead. Why hate on people who clearly “get it” instead of hating on the fucking culture that has even allowed this type of thing to be an issue?"
    Por que tudo tem que ser bom ou mau? Ela não é a melhor coisa since a invenção da internet, mas as pessoas precisam entender que isso não quer dizer que ela é o satã.
    Post necessário. Abra seu guarda-chuva contra as pedras
    Beijo! <3

    ResponderExcluir
  28. Não vou dizer que não gosto da moça. Eu gosto. Mas concordo com você que todo mundo acha essa menina a última bolacha do pacote. Logo quando lançou "O lado bom da vida" corri pra assistir esperando uma atuação perfeita e blábláblá. Não vi demais. Nada que uma outra boa atriz não fizesse igual ou melhor. Até escrevi um post sobre isso na época. Enfim... Oremos. Hahaha!

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  29. Amiga, eis que ressurjo das cinzas para vir comentar um dos posts que vai ecoar na minha cabeça durante muitos e muitos anos! Que consideração mais necessária, toda a forma que você o conduziu, a liberdade que ele nos dá. Lembro que quando terminei de ler senti como se tivessem soltado as amarras e agora eu posso dizer à torto e à direito meus gostos e desgostos.
    Nunca gostei da J. Lawrence. Nunca. Na verdade, parte da razão de eu ter demorado tanto para assistir o filme foi porque vi uma entrevista dela e de cara não gostei. Fiquei tão incomodada quando ela ganhou o Oscar porque, pelamordeDeus daonde é que esse povo tirou que aquela performance era digna de Oscar? É como se desmerecesse todas as ganhadoras anteriores.
    Enfim, só quero te dizer que sempre fui sua fã, mas que este texto fez com que minha irmã e mãe também se tornassem!

    ResponderExcluir
  30. Tinha me desligado totalmente da blogosfera e esquecido de ler os blogs que eu adoro. Não li os dois primeiros posts porque eu tenho uma mania estranha de não querer ver resenha de filmes que eu ainda não assisti (algo sobre criar expectativas e depois me decepcionar). Então eu acabei vindo direto pra esse aqui. No início eu era fanzona da Jennifer. Jennifer isso, Jennifer aquilo, Jennifer no Oscar, Jennifer caindo. Talvez tenha sido essa sensação de forçação de barra, mas depois e um tempo eu simplesmente parei de achar que ela é tão linda e maravilhosa assim. Tudo isso pra dizer que ao ler o seu texto eu me identifiquei com o sentimento e comecei a pensar que as pessoas deviam ser mais criteriosas em relação ao que gostam. É complicado falar disso num blog, com milhares de pessoas discordando com o único argumento de que ela é linda ou que é inveja nossa. Mas, caramba, nós temos um blog! Se não for pra colocar a nossa opinião nele, qual é a graça?


    Volto quando assistir os filmes que cê fez resenha (:

    Beijos,

    Mari

    ResponderExcluir
  31. Gostei do seu post. Eu gosto da Jennifer Lawrence, acho muito carismática, inclusive torci por ela no Golden Globe deste ano. Só que estão a colocando num pedestal. Assisti ao filme Inverno da Alma (aclamado pela crítica) e achei o filme muito sem recheio, mas atuação dela foi realmente muito boa. Veio o Oscar 2011 e ela perdeu para Natalie Portman (merecidíssimo, pois Natalie já provou N vezes ser muito competente e não tinha levado o prêmio máximo para casa ainda). Aí veio O Lado Bom da Vida. Não vi nada demais no filme ou na atuação dela. Aí ela ganha o Oscar e vira um bum. Neste ano a mesma coisa. Ela é boa atriz e parece ser bem desligada dessas coisas de Hollywood, mas ultimamente está muito forçado.
    Um ponto que eu gostaria de tratar é com relação a recepção dela pela crítica especializada. Nos EUA ela é a queridinha, tem uma atuação impecável, leva tudo o que concorre para casa (Oscar, Globo de Ouro, Critics Choice Awards, SAG Awards, etc). Mas no circuito europeu ela não está com isso tudo não. Digo isso com base no "Oscar" Britânico, o BAFTA. Em 2011 perdeu para Natalie Portman e em 2013, para Emanuelle Riva. Neste ano ela concorre lá também e acredito que eles devam agraciá-lo à Lupita Nyong'o (palpite meu).
    Em Jogos Vorazes e Em Chamas não tem muito o que se falar por ser um blockbuster e poucos dão crédito para esses tipos de filme (Harry Potter, Crepúsculo e etc). Na verdade, ela tem o rosto pouco expressivo e no filme isso se torna mais evidente. Mas isso não quer dizer que seja uma atriz ruim.
    Quanto ao seu jeito nas entrevistas e premiações, acredito sinceramente que ela tenha esse jeito extrovertido e que fale o que lhe venha à mente sem filtro (este último acho o mais interessante, pois as atrizes tem o hábito do discurso treinado e formal, nada parecido com o dia-a-dia de um sujeito comum), mas às vezes ela força, bem como nas piadinhas. Tem coisas que realmente são comuns e no mundo das celebridades são abomináveis (como numa entrevista em que ela alegou ter faltado à alguns eventos por estar com pneumonia e na hora de tossir, saiu um pigarro, sem querer). Acho isso válido para mostrar aos "não-famosos" que não há diferença nenhuma deles para com as celebridades.
    Em suma, ela não é uma deusa ou ser de outro mundo (nem uma mutante rsrsrs), é um ser humano comum, com qualidades e defeitos, uma profissional competente, mas não é uma criatura excepcional que pisa pela primeira vez na Terra. Hoje fala-se dela, amanhã será outra.

    ResponderExcluir
  32. Gostei do seu post. Eu gosto da Jennifer Lawrence, acho muito carismática, inclusive torci por ela no Golden Globe deste ano. Só que estão a colocando num pedestal. Assisti ao filme Inverno da Alma (aclamado pela crítica) e achei o filme muito sem recheio, mas atuação dela foi realmente muito boa. Veio o Oscar 2011 e ela perdeu para Natalie Portman (merecidíssimo, pois Natalie já provou N vezes ser muito competente e não tinha levado o prêmio máximo para casa ainda). Aí veio O Lado Bom da Vida. Não vi nada demais no filme ou na atuação dela. Aí ela ganha o Oscar e vira um bum. Neste ano a mesma coisa. Ela é boa atriz e parece ser bem desligada dessas coisas de Hollywood, mas ultimamente está muito forçado.
    Um ponto que eu gostaria de tratar é com relação a recepção dela pela crítica especializada. Nos EUA ela é a queridinha, tem uma atuação impecável, leva tudo o que concorre para casa (Oscar, Globo de Ouro, Critics Choice Awards, SAG Awards, etc). Mas no circuito europeu ela não está com isso tudo não. Digo isso com base no "Oscar" Britânico, o BAFTA. Em 2011 perdeu para Natalie Portman e em 2013, para Emanuelle Riva. Neste ano ela concorre lá também e acredito que eles devam agraciá-lo à Lupita Nyong'o (palpite meu).
    Em Jogos Vorazes e Em Chamas não tem muito o que se falar por ser um blockbuster e poucos dão crédito para esses tipos de filme (Harry Potter, Crepúsculo e etc). Na verdade, ela tem o rosto pouco expressivo e no filme isso se torna mais evidente. Mas isso não quer dizer que seja uma atriz ruim.
    Quanto ao seu jeito nas entrevistas e premiações, acredito sinceramente que ela tenha esse jeito extrovertido e que fale o que lhe venha à mente sem filtro (este último acho o mais interessante, pois as atrizes tem o hábito do discurso treinado e formal, nada parecido com o dia-a-dia de um sujeito comum), mas às vezes ela força, bem como nas piadinhas. Tem coisas que realmente são comuns e no mundo das celebridades são abomináveis (como numa entrevista em que ela alegou ter faltado à alguns eventos por estar com pneumonia e na hora de tossir, saiu um pigarro, sem querer). Acho isso válido para mostrar aos "não-famosos" que não há diferença nenhuma deles para com as celebridades.
    Em suma, ela não é uma deusa ou ser de outro mundo (nem uma mutante rsrsrs), é um ser humano comum, com qualidades e defeitos, uma profissional competente, mas não é uma criatura excepcional que pisa pela primeira vez na Terra. Hoje fala-se dela, amanhã será outra.

    ResponderExcluir
  33. Gostei do seu post. Eu gosto da Jennifer Lawrence, acho muito carismática, inclusive torci por ela no Golden Globe deste ano. Só que estão a colocando num pedestal. Assisti ao filme Inverno da Alma (aclamado pela crítica) e achei o filme muito sem recheio, mas atuação dela foi realmente muito boa. Veio o Oscar 2011 e ela perdeu para Natalie Portman (merecidíssimo, pois Natalie já provou N vezes ser muito competente e não tinha levado o prêmio máximo para casa ainda). Aí veio O Lado Bom da Vida. Não vi nada demais no filme ou na atuação dela. Aí ela ganha o Oscar e vira um bum. Neste ano a mesma coisa. Ela é boa atriz e parece ser bem desligada dessas coisas de Hollywood, mas ultimamente está muito forçado.
    Um ponto que eu gostaria de tratar é com relação a recepção dela pela crítica especializada. Nos EUA ela é a queridinha, tem uma atuação impecável, leva tudo o que concorre para casa (Oscar, Globo de Ouro, Critics Choice Awards, SAG Awards, etc). Mas no circuito europeu ela não está com isso tudo não. Digo isso com base no "Oscar" Britânico, o BAFTA. Em 2011 perdeu para Natalie Portman e em 2013, para Emanuelle Riva. Neste ano ela concorre lá também e acredito que eles devam agraciá-lo à Lupita Nyong'o (palpite meu).
    Em Jogos Vorazes e Em Chamas não tem muito o que se falar por ser um blockbuster e poucos dão crédito para esses tipos de filme (Harry Potter, Crepúsculo e etc). Na verdade, ela tem o rosto pouco expressivo e no filme isso se torna mais evidente. Mas isso não quer dizer que seja uma atriz ruim.
    Quanto ao seu jeito nas entrevistas e premiações, acredito sinceramente que ela tenha esse jeito extrovertido e que fale o que lhe venha à mente sem filtro (este último acho o mais interessante, pois as atrizes tem o hábito do discurso treinado e formal, nada parecido com o dia-a-dia de um sujeito comum), mas às vezes ela força, bem como nas piadinhas. Tem coisas que realmente são comuns e no mundo das celebridades são abomináveis (como numa entrevista em que ela alegou ter faltado à alguns eventos por estar com pneumonia e na hora de tossir, saiu um pigarro, sem querer). Acho isso válido para mostrar aos "não-famosos" que não há diferença nenhuma deles para com as celebridades.
    Em suma, ela não é uma deusa ou ser de outro mundo (nem uma mutante rsrsrs), é um ser humano comum, com qualidades e defeitos, uma profissional competente, mas não é uma criatura excepcional que pisa pela primeira vez na Terra. Hoje fala-se dela, amanhã será outra.

    ResponderExcluir
  34. Fato.
    Adoro Hunger Games e tudo mais, mas calma lá com a febre Jennifer Lawrence.

    Comecei tb a pensar assim com o Oscar do ano passado e cada vez mais acredito que as pessoas fazem um barulho enorme por alguém que é só "ok".
    Sem contar que eu li que ela veste 40, o que para uma mulher da altura dela é ser super magra. Rosto em formato oval não é ser godinha ou gordura, minha gente...

    ResponderExcluir
  35. Sinceramente, sou muito, mas muito fã mesmo dela. Não culpo, nem odeio e muito menos julgo quem não gosta tanto dela quanto eu, afinal opinião é algo subjetivo e ninguém é igual. Mas realmente tenho que concordar com algumas coisas nesse seu post, eu mesma já acho que a imagem dela está saturada, o que só me faz pensar que de alguma forma o mundo do entretenimento tá escasso de pessoas "interessantes". Não acho que ela seja forçada nem nada, vendo entrevistas dela antes de se tornar a "nova queridinha da américa" já dá pra perceber que ela é realmente debochada. Mas enfim, acho que ela é uma ótima atriz e que as pessoas se esquecem que ela só tem 23 anos e toda uma carreira pela frente, então não fiquem falando por aí "ah, ela é muito superestimada" do mesmo jeito que a imagem dela está saturada, esse argumento já está batido acho que se ela fosse tão incompetente e superestimada como algumas pessoas dão a entender, não teria conseguido chegar onde chegou equilibrando prestígio com a crítica e com o público. Daqui há algum tempo, hollywood vai deixar de concentrar toda a atenção nela e vai desviar pra outra atriz ou ator que apareça e vão vir outras pessoas como vocês falar o quanto ele(a) é superestimada e blá blá blá. Mesmo sendo fã, acho realmente que ela não merecia ganhar o Oscar, mas isso é problema da Academia. Enfim acho legal que você tenha feito um post tão bom e com argumentos válidos, não vou dizer que concordo com tudo até porque você há de convir que não é fácil lidar com pessoas que tem uma opinião tão diferente da sua mas mesmo assim parabéns por expressar sua que não é plenamente positiva, mas sem ofender a Jennifer como alguns idiotas costumam fazer.

    ResponderExcluir
  36. Não posso nem falar que gosto nem desgosto, na verdade não tenho uma opinião formada sobre ela, "tipo assim" nem ligo kkkkk
    Ah, tá ela ganhou o oscar, nem vi aquele filme..... é meio desbocada... mas super concordo com o q vc citou, parece que ela dorme pensando em como vai "causar". De repente é mesmo isso, ela criou para si um personagem estilo "não estou nem aí para as convenções em Hollywood". O problema é a idolatria. Pô, ela caiu de novo? Não é a toa que o povo anda falando que foi forçado..... agora as atitudes dela (algumas na maioria) parecem forçadas. Eu vi jogos vorazes e nem achei ela essa coca cola toda. Não vi o outro filme, então não posso nem piruar... mas esse negócio de "melhor atriz da sua geração" é meio exagerado para mim, sabe.... acho a Anne Hataway muito melhor do que ela, com uns filminhos mais legais no currículo.
    Mas a palavra recalque é complicada, né? Parece que temos que ser "gado" e gostar de tudo que a maioria (as vezes bitolada) gosta. Mas como diz minha mãe "vc não é todo mundo" então geralmente é essa a resposta que eu dou!
    Bjs

    ResponderExcluir
  37. Estava aqui linda e maravilhosa dando uma de stalker no seu blog e encontrei esse post e foi tipo muito amor por você. Finalmente alguém que concorda comigo! Onde já se viu transformar gente em modinha? Pra mim, é o pior tipo. E, de forma inconsciente, a gente acaba não gostando da pessoa por todos os seus fãs histéricos e desgovernados. Eu acho a moça linda e não tem como negar que ela é uma ótima atriz, mas é só. Inclusive achei que o Bradley Cooper era muito mais merecedor do Oscar pelo Lado Bom da Vida do que ela, na boa.

    ResponderExcluir
  38. Descordo totalmente e estou vendo por esse post que você odeia uma pessoa que nem conhece apenas disfarçando dizendo que não odeia kkkk vamos ser sinceras.
    Uma Jennifer Lawrence é uma das maiores atrizes da nossa geração,é sim uma pessoa humilde e espontânia ela é o que é não precisa fazer pose é isso que mais gosto nela!
    Até hoje ela visita seu amigo de escola que tem deficiência,eu sei porque eu vi fotos recentes! desnecessário esse ódio seu!mas se nem Deus agradou a todos né fazer o que!

    ResponderExcluir
  39. ô Clara acima, se você soubesse interpretar talvez vc entenderia o texto da moça mas, nem escrever vc sabe "espontânia"?????

    ResponderExcluir