quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Manifesto contra as adoráveis desastradas

Posso dizer que 85% das minhas desilusões com a vida no geral se deve ao fato de que passei minha pré-adolescência assistindo a comédias românticas. E ainda que eu estivesse vivendo minha adolescência a base de Bergman e muito existencialismo, o que não está acontecendo, não conseguiria fugir do meu destino de quem, na aurora da maturidade emocional, foi bombardeada com a ideia de que um dia eu trombaria com o cara mais lindo do colégio no corredor, haveria aquele encontro de olhares e ele então teria certeza que eu era a garota da vida dele.

Um dos meus filmes de Sessão da Tarde favoritos é um chamado Ela É Demais. A história é bem clichê: o cara popular da escola aposta com o amigo que consegue transformar qualquer garota em rainha do baile, e a escolhida é uma garota meio estranha, CDF, que faz parte do grupo de teatro e o desenrolar dessa história vocês já sabem: eles se apaixonam, ela sofre uma makeover e fica maravilhosa e eles vivem uma linda história de amor ao som de Sixpence None The Richer. É um bruta d'um clichê, mas é bonitinho e a gente gosta de assistir no meio da tarde quando deveria estar estudando, mas isso é um problema na vida de qualquer garota que é ou já foi excluída, estranha, CDF e nem um pouco popular. Em outras palavras, eu.

Além do clichê da garota estranha que vira rainha do baile em poucas semanas, tem aquele das desastradas. Comédias românticas adoram o estilo de roteiro que une um cara lindo e perfeito com aquela garota atrapalhada que deixa as coisas caírem no meio da rua, quebra o salto do sapato e derruba molho de tomate na blusa branca. O Chuck Bass da história, cansado das maravilhosas garotas vazias sempre ao seu redor, vê uma graciosidade estranha naquele emaranhado de gestos atrapalhados, e se interessa pela mocinha que não consegue andar sem tropeçar, e acha aquilo um charminho particular, a coisa mais fofa do mundo.

Eu sou muito desastrada. Nessa última semana eu consegui sujar minha cozinha inteira (literalmente) com molho de salsicha, quebrar uma vasilha que era de uma amiga da minha mãe e colocar fogo num pano de prato. Detalhe: a semana ainda não acabou. Já caí na escada da escola, já quase caí na escada da escola incontáveis vezes com tropeções pouco lisonjeiros, já consegui ficar presa num arame farpado no epicentro de um enxame de abelhas africanas (juro); portanto, como membra oficial do Clube das Desastradas das Canelas Roxas Ltda., sou obrigada a dizer que isso não tem graça. Isso não tem charme particular algum. Isso está longe de ser a coisa mais fofa do mundo.

E aí que nós, desastradas, já passamos por humilhações o bastante ao longo da vida e não precisamos de lidar com mais essa, que é a de ter certeza de que não somos charmosas em nossos piores momentos (quando penteadas, com uma bela meia-calça para disfarçar os hematomas e sem batom no dente, a história já é outra), saber que a chance de um Chuck Bass do cerrado (ou do sertão, dos pampas, seja lá qual a vegetação típica de onde a amiga atrapalhada mora) é praticamente nula, mas no fundo, devido a uma má formação cinematográfica numa época vulnerável da vida, ainda sonhar que aquele cara gracinha que está sorrindo na rua enquanto você acabou de cair de joelhos, ri porque olhou pra você e ficou gamado no jeito que você conseguiu dar um nó nas próprias pernas e não porque você foi ajeitar o cabelo e sujou a testa de graxa.

Samantha Baker, você é uma fraude (mas a gente te ama assim mesmo)

28 comentários:

  1. Ei Anna! Eu também sou desastrada, e por isso super te apóio nesse manifesto! hahaha
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus, quanto Chuck Bass num post só, assim é pra matar uma né hahaha.
    Eu não sou tão desastrada assim, mas sou um pouco, ainda mais quanto estou com amigos, em lugares públicos, acho incrivel, mas esses filmes iludem a gente, até hoje to esperando um carinha desses me encontrar hahaha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Meu Deus, overdose de Chuck Bass! Você viu esse post: http://migre.me/3NULa ? Morri com ele, haha.

    Mas enfim, eu também sou desastrada, já caí na escada da escola, tomei banho de Pepsi no intervalo e derrubei todo o material no meio da aula. Já caí de quatro (!) no meio do shopping, da escada do mesmo shopping e já derrubei Fanta Uva na saia branca, no mesmo shopping.
    Manifesto tá apoiaíssimo, Anna!

    ResponderExcluir
  4. Tirando os comentários sobre Chuck Bass especificamente - nunca assisti Gossip Girls, mas comecei a considerar a possibilidade seriamente nas últimas semanas, eu me senti roubada. Foi como se tu tirasse uns pensamentos que tive há uns anos da minha cabeça e colocasse num post muito, muitíssimo bem escrito. Manifesto apoiado!

    ResponderExcluir
  5. Ai, adoro esse filme também! Na verdade, adoro a maioria dos filmes de comédia romântica, principalmente 10 coisas que odeio em você (nao sei se é da sua época, rs!) e De repente 30 (esse é!!)!
    Mas quanto a ser desastrada, acho que não sou tanto... somente quando estou com sono ou um pouco alta das cervejas, rs!!!

    Você viu que te mandei um meme?!
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  6. Calma, ainda nao li o post massó queria comentar: NOSSA http://weheartit.com/entry/6612944

    ResponderExcluir
  7. Ainda nao li, masssss: http://weheartit.com/entry/6603183 = KITFISTO

    ResponderExcluir
  8. Anna, agora eu li. Olha, morri com você.. eu que pensei que era desastrada, percebi que cê é mais.

    Fia, se eu fosse muito rica eu transformaria seu blog em livro :D tipo assim, o antonio prata. E com certeza ia chamar Clube das Desastradas das Canelas Rochas Ltda.

    Bjux, até mais tarde.

    ResponderExcluir
  9. Não sou tão desastrada assim, apesar das pessoas dizerem que sim..
    Mas hein, quero muito um post sobre essa de ficar presa num arame farpado no epicentro de um enxame de abelhas africanas!
    Curiosidade total agora. haha
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. viciei nos teus textos, guria. e agora nas férias então, que ando com tempo pra ler...
    vc escreve muito bem!
    bolo de rir aqui, adoro senso de humor como o teu.
    certeza que vc será uma excelente jornalista e ótima escritora, moça ^^
    até o próximo post =p

    ResponderExcluir
  11. Eu adorei esse post.
    Tenho o mesmo trauma, mas eu nunca achei que seria protagonista tô mais praquela menina que a
    Rachael Leigh Cook vê vomitando no banheiro. Nada de garota linda que está feia porque tá com o cabelo bagunçado. Nunca pensei que eu pudesse protagonizar um filme.

    ResponderExcluir
  12. Todas essas fotos do Ed Westwick me fizeram ficar toda áwn *-*
    Poxa... Achava que eu era a única desastrada do mundo. Sério, se sair pra contar as historias dos meus hematomas etc e tal, as pessoas se assustam. Mas eu nunca encontrei um cara lindo e maravilhoso a lá chuck bass. Todos os caras que riem de mim são tão desastrados quanto eu e temos que concordar que relacionamentos entre dois desastrados, é desastre na certa. Portanto, continuo forever alone, mas desastrada como sempre! hehehe
    Ótimo texto!
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Hahaha, ri bastante. Adoro "Ela É Demais", dane-se se os outros acham clichê. Me identifiquei bastante contigo, sou a CDF excluída do colégio ahuahau. Mas, realmente, as chances de um Westwick (hiperventilei com as fotos dele, por sinal) aparecer na minha escola com uma super paixão platônica por mim são mais do que nulas. É a vida, acontece. Uns com muito, outros com nada.

    Acho que estou conformada, afinal!

    Beijos, Anna Vitória.

    ResponderExcluir
  15. Nossa...falou tudo...sério...
    Ela é demais...!10 coisas que eu odeio em você....Diário da Princesa (eu sou muito igual a Mia...tirando a parte de ser princesa).

    Quando eu tinha 16 anos eu achei que tinha realizado meu sonho de sessão da tarde adolescente...mas depois tudo acabou-se e eu tive até uma fase assexuada...
    Agora com 22 começou tudo denovo...mas ao invés de sessão da tarde to praticamente protagonizando a música Eduardo e Mônica XD e estou feliz...

    as coisas acontecem tortas e inesperadas para mocinhas desastradas como nós XD
    Vai ser divertido quando vc contar seus causos de amor reais...

    (aliás...Disney também ferrou minha mente com a idéia de romance deles...mesmo assim ainda amo).

    ResponderExcluir
  16. Bom, começo dizendo que faço parte do Clube das Desastradas das Canelas Rochas Ltda, e que a minha participação não é pequena. Já rolei lomba (vulgo ladeira) abaixo na escola depois de tropeçar num fio de luz. Já cai em posição fetal na saída da escola, quando eu tropecei no basalto caído da calçada. Várias situações, enfim. Não há nada de charme nisso, aliás, é um perigo natural :)
    Eu amo comédias românticas e talvez seja por isso a ilusão de que aquele cara lindo vai mesmo se apaixonar pela atrapalhadinha aqui, também.

    beijinhos :*

    ResponderExcluir
  17. Ri muito!!!
    Também sou desastrada. Na verdade, Anna, já fui. Hoje em dia melhorei minha timidez entre outras coisas e estou melhor. posso andar sem tropeçar e talz.
    Adorei as fotos "Love Bass" "Porque eu sou Chuck Bass!" que você colocou! Vi todas!
    Adorei o layout também. Não poderia ser mais criativo! E não é que você acabou com um pattern de bolinhas mesmo?
    Beijoooooooooooos!

    ResponderExcluir
  18. ótimo texto, e não se preocupe para toda desastrada existe um bonitinho esperando em algum lugar no mundo. Situações embaraçosas tendem a acontecer perto de caras bonitos e dos sonhos, com sorte um deles vai ser bacana e não rir da sua cara. O melhor de tudo deve rir lembrando junto com ele depois de tanto desastre.

    ResponderExcluir
  19. espero que consiga o chuck bass do cerrado (ri alto aqui) uasuhausauhsa
    beijos
    =D

    ResponderExcluir
  20. Oie !
    E eu que achei que eu fosse desastrada... hehe
    Apesar de concordar com seu manifesto eu ainda continuo sonhando que minha vida pode ser como os filmes da Sessão da Tarde, sabe como é: sonhar não custa nada !

    Amei seu theme novo. Bjs.

    ResponderExcluir
  21. Eu passei a vida me apoiando em "Um lugar chamado Notting Hill". Aquela coisa de achar um cara meio bobinho que me ama e que vai fazer de tudo - até se passar por repórter de uma revista de cavalos pra me conquistar.
    Só não sou Julia Roberts...tem que lidar, né?! haha

    ResponderExcluir
  22. "isso é um problema na vida de qualquer garota que é ou já foi excluída, estranha, CDF e nem um pouco popular. Em outras palavras, eu."
    ...eu também! Por isso que eu adoro o "Nunca fui beijada", por exemplo.
    Também sou Mega Desastrada.
    beijocas!

    ResponderExcluir
  23. To aqui me deliciando com seu texto. Primeiro porque faço parte do Clube das Desastradas... E desses filmes todos, adoro o "Ela é Demais", e hoje mesmo parei tuudo o que estava fazendo para assistir "Um Lugar Chamado Nothing Hill"... Outro dia vi "Cartas para Julieta" e quase tive uma síncope nervosa... O fato é que tem um charminho, o problema é que a gente sempre estraga ele quando tropeça e cai de joelhos na poça d'água mais próxima...

    Lembro de um dos meus melhores tombos rs Tropecei numa daquelas lindas correntes que colocam em estacionamento de banco. Bem, cai de quatro Oo #vergonha #vergonha!

    Adorei o Texto!
    Um beijo :*

    ResponderExcluir
  24. Ai meu Deus,me achei nessas linhas rsrs
    Eu tô com 22 anos deveria ter acordado pra vida faz tempo mas ainda tô nessa aí esperando esse cara chegar ...

    ResponderExcluir
  25. Primeiro eu preciso dizer que AMEI o novo lay! Você me fez descobrir uma paixão secreta por pôneis, embora eu seja bem menos "obcecada" que você, e agora tudo que é relacionado a eles eu acho fofo (e engraçado porque lembro das suas coisas) haha.

    Quanto ao Clube das Desastradas das Canelas Rochas Ltda. a gente precisa ter umas carteirinhas que é pros carinhas estilo Chuch Bass já se prepararem pra controlar o riso e evitar a cara de "que idiota/pateta" que provavelmente eles iriam fazer quando nos vissem escorregando na próxima calçada molhada ou, na empolgação da conversa, dando de cara com um poste.
    E um dia ainda processo a Disney e todos os criadores desses filmes de Sessão da Tarde que me enganaram tão lindamente durante toda a minha infância e adolescência.

    Um beijo, Anninha ;*

    ResponderExcluir
  26. Eu adoro esse filme Ela é Demais. E concordo que esses filmes nos fazem sonhar que um dia um homem a la Chuck irá se apaixonar profundamente por nós, mesmo que não sejamos o tipo dele.

    ResponderExcluir
  27. Ai Annina, eu entendo bem o que você passa. Aliás, tem carteirinha pra quem se associa a esse clube?
    Meu apelido em casa para você ter uma noção é furacão e minha mãe já está acostumada a ouvir como resposta da pergunta "da onde veio esse roxo?" a "não sei!".
    Bjitos!

    ResponderExcluir