sexta-feira, 17 de junho de 2011

Psicanálise na cafeteria

Na primeira temporada de Friends a Phoebe arranja um namorado psiquiatra que todos odeiam, porque ele tem mania de, a partir de pequenos detalhes, analisar a vida e a psique de todos, deixando-os deprimidos. Se esse cara fosse namorado de alguma amiga minha ou até mesmo meu, ele poderia escrever uma tese em cima do meu comportamento em certos restaurantes.

Minha região preferida da cidade onde moro, Uberlândia, é o Fundinho, bairro mais antigo daqui todo charmosinho, de arquitetura linda, com lojinhas charmosas e lugares bacanas pra comer. Logo no início do bairro tem um dos pontos turísticos (cof) da cidade, a praça da Bicota, uma praça (dã) onde tem uma sorveteria legendária, que existe, sei lá, desde sempre. Todo mundo vai pra lá. Além da sorveteria, tem um Yogoberry e uma cafeteria. Sempre que vou pra lá, combino de encontrar meus amigos na cafeteria, e é aí que o problema começa.

Normalmente eu estou com o Matheus, que sofre do mesmo mal que eu. Não sei porque a gente insiste nessa cafeteria, já que sempre que comemos lá nos arrependemos. É cara e as coisas nem são tão boas assim. Mas é que de fora sempre parece bom, e a gente não aprende. Pedimos o cardápio e tem início a pagelança. Nós dois passamos meia hora olhando o cardápio, sem exagero. Já o conheço de cabo a rabo, mas toda vez que vou lá passo todo esse tempo lendo ítem por ítem. A gente nunca sabe o que vai pedir, e muda de ideia umas setenta vezes. Sabe o que é pior? Quando a gente se decide e o pedido chega, a conclusão é que não era aquilo que nós estávamos com vontade, pra começo de conversa. Hoje, por exemplo, pedi um capuccino bizarro com mousse de limão. Não um capuccino e um mousse de limão, mas um capuccino com mousse de limão dentro. É exatamente esse tipo de coisa sem critério que eu faço por lá. Nem estava ruim, só um pouco frio e isso pra mim é a morte. Aí a gente fala que não volta mais lá, tipo a vez que o Matheus inventou de pedir uma soda italiana que ele odiou e disse que não voltava mais lá.  A gente se arrepende, fala que não vai mais porque é caro e não é tão bom, mas sempre voltamos. O garçom nos odeia.

Aí chega a hora de comer. Haja poder de decisão. Risos. Pizzaria, temakeria, Subway, McDonalds, açaí e confeitaria num só quarteirão. Hoje nós íamos num outro restaurante, que nem fica naquela região. Só que aí passamos na porta do Subway e sentimos o cheiro da magia encantada dos pães do Subway assando e pronto, queríamos Subway. Os dois patetas entraram no Subway, passaram dez minutos olhando pros sanduíches no painel, que já estamos carecas de conhecer, pra ter a brilhante ideia que McDonalds cairia melhor. Eu comi um McChicken pra chegar à conclusão que tava com vontade mesmo era de batata frita. O Matheus pediu um BigMc e deixou metade, porque não estava com apetite suficiente. É esse tipo de coisa que acontece com a gente sempre que vamos passar a tarde no Fundinho. Melhor que aquela vez em que passamos, mesmo, duas horas lendo o cardápio da cafeteria, com o garçom mal encarado nos olhando com cara feia, pra sair de lá e ir comer umas coxinhas frias com Coca Cola na confeitaria. Tem com ser mais perdida na vida?

Tenho vontade de fazer análise não pra trabalhar melhor essa minha indecisão infinita, ai meu Deus será que caso ou compro uma bicicleta, essa ansiedade que ela gera, ai meu Deus caso ou compro uma bicicleta meus cabelos estão caindo, mas sim pra ter o prazer de entrar num restaurante sabendo exatamente o que quero comer e sair de lá satisfeita, do tipo ai meu Deus era tudo que eu precisava. Espero que Freud explique.



18 comentários:

  1. pra comer eu nem sou tão indecisa, quer dizer, minha indecisão é diferente. agora estamos em greve dos servidores da ufsc. ou seja, nada de restaurante universitário a 1,50. sou obrigada a gastar meu salário inteiro com self service e fico naquela "O QUE EU VOU COMER?" porque os buffets têm muita opção, fico com medo de colocar muita comida no meu prato e acabo não comendo nada.
    também sou indecisa com roupa. quero usar uniforme de novo djá!

    ResponderExcluir
  2. OKAKOAKOAKOAKOAKOAKOAKOAKOKOA ri muito com o teu post flor! Minha indecisão é passageira graças a deus, se eu acordo com vontade de comer mc almoço mc e pronto, não importa se o cheiro do japonês tá delicioso ou se tem minha sobremesa preferida no por kilo da praça de alimentação, e quando não to com vontade de nada eu volto pra casa mesmo pra comer a comida gostosa da miinha mãe *--*

    Mas sou indecisa com livros, ainda mais quando só posso levar um e tenho três na mão... Mas aí eu me irrito comigo mesma, faço uni-duni-tê e gasto meu (não) tão suado dinheirinho. Indecisão acaba com a vida da gente!

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  3. Faz como o Godinez, amigo do Chaves: pega uma moeda, joga pra cima e deixa o destino decidir ! É a melhor coisa a ser feita...hehehe.

    E Luisa Pinheiro: tá fechado o RU da UFSC também, é? Aqui na UFSCar também tá ! É um desperdício de dinheiro (nosso), né? Um dia de self-service é uam semana de RU : (

    ResponderExcluir
  4. Aff, detesto quando vou para os lugares e pago uma fortuna por uma comida ruim. Mas eh como tu disse, fico com vontade de voltar la so por causa do ambiente. Tem vontade que eh bem capeta a ponto de nao nos deixar em paz, ne? Se nao decidirmos na hora, parece que vamos passar decadas com aquela vontade nos cutucando e nos deixando culpado.
    Me diverti com o teu post, mesmo.
    Beijos linda! :)

    ResponderExcluir
  5. Hahaha, eu sou assim: Vou em algum lugar, experimento uma coisa, se gosto, sempre que vou lá peço a mesma e pronto. Tem uma confeitaria aqui perto de casa que eu AMO. É holandesa, toda quentinha, onde todo mundo fala baixo, e obviamente, só se ouve a minha voz. O cardápio é cheio de coisas, mas eu nem olho. Sempre entro falando: Quero aquelas mini-panquecas, doces e salgadas, e chocolate quente.
    ADORO!
    Quando você viver aqui (QUANDO, e não SE. Porque né, você vem um dia, eu sei) eu vou te levar lá, pra ver se você aprova o meu menu! hahahha
    E quando eu for aí (QUANDO, e não SE. [olha eu me convidando]) quero ir nessa cafeteria ruim. Nem que seja pra comer coxinha com coca-cola em outro lugar depois.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. O problema é o excesso de opções. Se tivessem poucas nem ia ser tão difícil decidir (acho, estou supondo, não sou psicanalista hahahahaha)!

    ResponderExcluir
  7. Hahahá! Isso sim é o que chamamos de indecisão viu! Agora como capuccino com mousse de limão poderia ser uma coisa boa hein? Em lugar nenhum do mundo isso me parece uma boa opção! Rs! Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oh god. hahahah.
    às vezes queria ser mais indecisa pra poder pensar mais nas coisas antes de escolher, porque depois me arrependo, sabe? haha
    Beijo Anna :)

    ResponderExcluir
  9. Para comer eu sou bem boazinha. Geralmente já sei o quero pedir ou consigo encontrar fácil coisas que me agradem.

    Mas quando se trata de escolher roupas, óculos, sapatos, bolsas e afins... melhor pegar um banquinho e utilizar todo o seu estoque de paciência.

    ResponderExcluir
  10. Como eu ODEIO quando existem mais de duas opções pra eu escolher. Não dá, não dá, não dáaaaaaaaaaaa! Quero alguém que escolha tudo pra mim. Por mim. Sempre.

    (E confesso pra você: prefiro que Freud não explique, não!)

    ResponderExcluir
  11. Já coisas bizarras mas garanto que uma delas não fou capuccino com mouse de limão dentro! Juro que li o post inteiro e menina, que maratona culinária... Rsrsrs.

    Bjinho

    ResponderExcluir
  12. A tag "gordinha tensa" complementa todo o post! ahahaha.. eu amo o seu jeito de escrever.
    E eu sou quase da mesma forma, acho que sou indecisa em tudo e nao so em relacao a comida :S
    Mas isso de entrar num lugar, se arrepender e continuar voltando eh a minha cara!
    Seria coisa de mineiro? :D rs...

    Beijos Anna.

    ResponderExcluir
  13. HAHA. Indecisão é uma coisa complicada, muita gente sofre e parece que agente sofre mais do que nossos pais sofriam. Credo! hahahahha

    ResponderExcluir
  14. Realmente teeeeenso essas coisas, haha. Eu sou sempre indecisa para dar o primeiro passo, decidir se vou/quando fou em determinado lugar. Depois que decido isso, faço tudo no impulso (sou dessas). Tipo ir pra SP: Demoro um milênio pra decidir quando/se vou, mas depois, faço o que tiver pela frente, rs. Agora quanto a comer e tal, sou terrível. Ou vou sempre aos mesmos lugares ou não como direito/não experimento novas comidas, rs.
    O que fazemos conosco, hein? haha

    ResponderExcluir
  15. Eu li esse post na segunda-feira, mas só agora consegui vir aqui comentar. Vamos lá:

    Eu também preciso de análise. Não porque tenha o mesmo problema que você, mas eu tenho um problema completamente o oposto: eu SEMPRE vou nos mesmos lugares e SEMPRE peço as mesmas coisas. Daí tipo assim, quando eu vou no Mc Donalds, nem penso duas vezes, encosto no balcão e peço Mcnífico Bacon com suco de pêssego. Mas quando eu vou no Outback, por exemplo, eu passo meia hora analisando o cardápio TODA VEZ, e posso te dizer que já decorei completamente, mas sempre acabo pedindo a mesma batata com queijo e bacon. Com honey mustard à parte. E assim é em TODOS OS LUGARES. E se por acaso eu vou no shopping e dou de cara com aquela imensidão de oportunidades de escolha de refeição, batata: você vai me ver morrendo ali no Baked Potato. Sempre pedindo com recheio de cheddar com champignon, ou requeijão com gorgonzola. Nesse lugar sim, duas opções de variação.

    Mas sabe, eu mesma já posso completar o raciocínio da minha análise: eu não gosto de mudanças. Acho horrível experimentar algo novo e terminar comendo aquilo e pensando "devia ter pedido o de sempre". Eu sou uma pessoa metódica, que gosta de rotina, acostumada sempre com as mesmas coisas e que não gosta de mudar. Simples assim.

    ResponderExcluir
  16. P.S. Esqueci de dizer que eu me acabo na batata com queijo e bacon do Outback, com honey mustard à parte e SUCO DE MORANGO pra beber! hahah.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  17. menina, deixa eu te dizer: somos exatamente iguais: Deus, eu, o casamento e a bicicleta.
    mas eu me conformei e parei de achar isso um defeito.

    -
    você lendo cem anos de solidão *--* eu gosto muito desse livro, a história é estranha, cômica e triste ao mesmo tempo. um ótimo livro.

    beijo.

    ResponderExcluir
  18. Faz como eu, entra e pede um capuccino chocolate da máquina da Nestlé. Você nunca mais vai querer outra coisa!!! :-)
    beijocas

    ResponderExcluir