terça-feira, 22 de junho de 2010

A ofegante epidemia

Peço licença ao meu querido Chico para tomar posse de sua letra e associar os adjetivos "alegria fugaz" e "ofegante epidemia", em sua música relacionados ao Carnaval, a essa euforia de Copa do Mundo que têm atingido à todos nós, de uma forma ou de outra (porque quem gosta faz festa, e quem não gosta faz questão de dizer isso a todo momento). Longe de mim querer emiuçar-me aqui numa análise e interpretação do que o meu querido homem de olhos verdes quis dizer por trás de tão genial composição, quero somente fazê-la de gancho ao que quero tratar.

Do pouco que entendo, percebo que a letra de "Vai Passar" fala sobre o Carnaval, a festa, a loucura, a beleza do samba, mascarando a realidade em que o país vivia, fazendo todos esquecerem de sua realidade, afundada em dívidas. Procede? Até hoje. A velha história do pão e circo que ouvíamos falar lá na Idade Média, mas que se fez verdade na efervescência dos conflitos em nosso país, e também agora.

Temos Carnaval, mas temos também, de quatro em quatro anos, a Copa do Mundo. Se acho que muitos se entregam a um falso patriotismo, a um ufanismo cego, a um súbito orgulho de sua nação durante um mês, para que nos próximos anos seja esquecido e até negado com veemência? Acho. Se acho que naquele mês todo mundo vira técnico, profissional, entendedor de bola, amante do futebol, sendo que passa o resto dos dias sem assistir a um jogo sequer? Acho demais. Se acho que todo mundo se une para torcer, vibrar e enlouquecer durante os jogos, mas se mostra inerte diante dos problemas sociais que não param de fazer goleada em nossas caras, nos chamando de idiotas a todo momento? Ô, e como. Entretanto, não é disso que venho falar. Já temos pessoas o suficiente por aí para esclarecer tópico por tópico, torcer contra, e levantar a bandeira da insignificância de tal evento. Com licença, farei diferente.

Não acompanho nenhum tipo de campeonato de futebol, mas enlouqueço em época de Copa do Mundo. Acreditem ou não, sou fã do esporte. Meu único problema é não ter time. Nunca tive. Devo isso talvez ao fato de que nem meu pai, nem meus avós são tão grandes torcedores de clubes nacionais, e essa coisa de time a gente acaba herdando. Nunca consegui torcer para time algum, torcer com o coração. Existem, claro, aquele que tem minha simpatia, como aqueles que nutro antipatia profunda, mas um só, coração tomado, não. E eis que no fim do túnel, tem a Seleção. Dela é a minha verdadeira torcida. Dela, posso dizer que torço até de forma cega, até porque quem torce de verdade, o faz com paixão, cegamente: acreditando até no último minuto que uma reviravolta pode acontecer, crendo na vitória, na conquista, até que me provem o contrário. Eu nunca escolhi que fosse assim, é involuntário.

Até ontem, o dorso de minha mão ameaçava roxear, já que a partir do início do segundo tempo da partida que jogamos domingo, comecei a mordê-lo de forma inconsciente. Meu pai, percebendo que quanto mais os marfinenses batiam em nossos jogadores, com mais força eu cravava os dentes nas mãos, pediu que eu parasse, mas não dava. Se eu fosse abrir a boca, de lá sairiam tantos palavrões que eu, que nunca fui dada a eles, certamente me sentiria incomodada por uma semana. No fundo, a mãe do juíz não tem nada a ver com essa história.

Portanto, ao menos nesse mês, me junto aos pés que fazem os paralelepídos das avenidas arrepiarem a cada vitória, embora as comemore em casa e odeie aglomerados. Me deixem torcer em paz, abraçar meu pai a cada gol do Fabuloso, chamar o Kaká de lindinho, ainda que ele não esteja jogando lindeza alguma, sentir na pele a dor e a revolta pela falta no Elano, e observar me chegarem a boca os mais vis xingamentos, tanto aos jogadores do time adversário que maltrataram nossos heroizinhos em campo, tanto ao juíz. Ele roubou pros dois lados, eu sei, mas eu já disse que quem torce não deixa espaço para sensatez. Ah que vida boa, olerê, ah que vida boa ôlará, deixem-me cantar em paz ao sair mais cedo da escola por causa de uma partida de futebol, e querer marcar churrasco, fazer pipoca e secar a seleção argentina.

Alienação existe, mas não é só em épocas de Copa, essas coisas não tiram férias, é o tempo inteiro. Alô você, que repete o quanto for preciso esses discursos prontos que você provavelmente ouviu de alguém e achou bonito, vamos todo mundo nos lembrar deles quando a Copa acabar? Porque se o patriotismo vem de quatro em quatro anos, a constatação de que isso só nos faz esquecer os problemas, também. Se você pensa isso todo o tempo, e assim se manifesta, parabéns, estou com você. Se você de fato não gosta da época, sinto muito por você, porque realmente deve ser um saco suportar todo mundo torcendo, vuvuzelas na cabeça e toda essa coisa. Aproveite a tranquilidade das ruas, vá andar de bicicleta, ler um livro, ouvir teu cd favorito no volume máximo. Agora se você adota esse discurso só nessas épocas já que agora virou hype falar mal do que todo mundo gosta, só lamento. Poupe-nos desses chavões e se estiver muito difícil suportar, abrace também o Chico, pense baixinho, "vai passar".

23 comentários:

  1. Amei muito o post, Anna. Você simplesmente colocou em palavras tudo o que estou sentindo. Agora virou modinha criticar a Copa o tempo inteiro e dizer que quem gosta não é patriota. Eu também sou torcedora como você, que sofre, que comemora... me identifiquei mesmo.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Anna:

    Bela postagem essa sua. Apesar da diferença entre as nossas idades, você me fez enxergar Vai Passar por um ângulo ainda não percebido, o da Copa do Mundo.

    Continue escrevendo, pois é com sementes como você que ocorre a germinação perene das Letras.

    ResponderExcluir
  3. Mesmo entendendo necas de futebol, não sabendo nem a escalação do time do Dunga antes do primeiro jogo, assisto todas as partidas. Não sou daquela que pula, esperneia e grita para cada gol, mas tenho minha comemoração interior, típico da minha personalidade mesmo. Até porque, vamos combinar que se a nação inteira para por causa da Copa, não sou eu que vou ser a sem graça e não assistir o jogo.
    E lógico, ficaria bem feliz se o Brasil chegasse na final...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Aff Anna, concordo com vc. Claro que tem gente que n gosta, e, embora eu ache essas pessoas meio.. alienígenas, concordo que, cada macaco no seu galho, e desejo sorte a eles na busca da paz pra ler um livro. Mas.. ficar enchendo o saco de quem gosta falando mal da copa pra mim é um ó. Acho ainda mais insuportável quem não torce pro Brasil. Uma coisa é virar patriota só em época de copa. Outra é se recusar a torcer pro Brasil dizendo que nosso país é uma merda. Não, ele não é. Eu amo o Brasil, com suas qualidades e defeitos, sempre. Em Copa do mundo, a diferença que dá, é que eu fico com orgulho dele. Principalmente quando ele dá espetáculos em campo.. Tomara que ele dê alguns. E pobre mãe do juiz, eu falei foi dela no último jogo. Realmente ela não tem culpa..
    Bjos!

    ResponderExcluir
  5. Arrasou, menina! Arassou MUITO!
    Falou tudo o que eu penso sobre o assunto.

    A alienação e a hipocrisia não só existem em época de copa do mundo.
    Hipócrita é achar que não se é hipócrita em nenhum momento.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Anna, que post mais cheio de opiniões, rs. Concordo! Gente mais chata essa que quer racionalizar tudo quando a vida é tão subjetiva, não é mesmo?

    Beijão, lindinha

    ResponderExcluir
  7. Aí entra também o respeito. Po não gosta da Copa, vai com o Chico mesmo. Mas deixa quem gosta em paz né não?
    Vem azucrinar aqui não, que aqui só tem quem torce. haha.
    Teus posts sempre ótimos. (:
    Beijo beijo.

    ResponderExcluir
  8. Anna simplismente Amei seu texto!!!
    sem palavras, ou seja com todas as palavras, possivel.
    Definitivamente menina vc tem um talento nato p/ escrita, já pensou em jornalismo ? rs!
    beijo grande !

    ResponderExcluir
  9. Hahah adorei, Anna!

    Só assisto aos jogos de camiseta da seleção (embora não oficial, ou oficial-de-sinal, como costumo chamar) e com docinho de coco com anilina verde a amarela ao lado.

    Só fico chateada porque esse nacionalismo todo só acontece de quatro em quatro anos pra maioria das pessoas. Eu sou bem nacionalista o tempo inteiro, desde a supervalorização de filmes/músicas/livros brasileiros até na hora de preferir aquele sanduíche de barraca na avenida ao McDonalds (até porque é mais gostoso.. óleo, pra que te quero?). E quando alguém vem pro meu lado com um "odeio a copa" só consigo sentir pena. Ainda mais quando dá pra notar que é forçado.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Como sempre, muito bom, adoro seus posts :)
    beijos!

    ResponderExcluir
  11. Bom, acho que é ao menos válida a alegria ainda que fugaz de qualquer motivo inexistente para o patriotismo.

    ( interessante como todo mundo sabe os nomes todos e grita cala boca galvao, ou entende de tudo a época de copa.. isso é quase um caos... )

    certo também uma pessoa que disse. 'não quero ver o jogo, cade o controle pra desligar o twitter?'

    devaneios a parte! adoro quando cita Chico!

    ResponderExcluir
  12. Você NUNCA me decepciona, ANNOOOOOCA.
    Confesso que fiquei com medo quando você começou com a música de Chico Buarque e falando da política do pão e circo, mas é óbvio que você ia fugir do atual senso incomum-comum! É totalmente o que eu penso, gatíssima! Pessoas que querem ser do contra, isso é tão last season.

    Vamos torcer, que eu quero é ser HEXA! HAHAHAHAHA


    BJOBJOBJO

    ResponderExcluir
  13. Anna, esse texto ficou muito bem escrito, gostei muito de lê-lo!
    Fazia tempo que eu não passva aqui...
    Beeijos

    ResponderExcluir
  14. Olá, quase-chará! hahahahaha... tudo bem?

    Menina, você arrasa escrevendo, hein? Parabéns (:

    De que cidade você é? Também sou do interior de MG :(

    Não sou muito aloka com copa não... só gosto quando perco aula por conta dos jogos, hahahahaha

    :*

    ResponderExcluir
  15. Anna!
    É a mesma coisa, eu não torço pra ninguém (tenho lá minhas simpatias herdadas do meu pai)mas não consigo desgrudar os olhos da tevê qdo o Brasil joga na Copa.
    Em frente a faculdade tem um papel colado no poste, na Av Paulista. Escrito: copa do mundo, pão e circo, não sei o que lá, falso patriotismo, blá blá blá.
    Deu vontade de escrever embaixo uma coisa não muito educada, mas eu resolvi deixar o termo só nos meus pensamentos.
    Tenho um amigo que está sempre do contra, tudo o que todos gostam, ele vem dizer que não gosta com um discurso chatíssimo-filosófico.
    É isso que rola.
    beijos!!!!

    ResponderExcluir
  16. Eu acho muito fácil todo mundo colocando a culpa de todos os problemas do país no fato das pessoas gostarem de futebol e tal. O problema, a meu ver, é que as pessoas usam o futebol como uma máscara, e acabam se esquecendo de coisas mais sérias. Se não fosse isso, não vejo drama nenhum em torcer pela seleção ou por algum time com todo seu coração e tal.

    ResponderExcluir
  17. Eu confesso que eu não sou fã de futebol nem em época de Copa. Na verdade, eu sento com a minha família e todos gritamos e enlouquecemos, mas é só ali, naquele momento. Torça sim! Torça muito! Deixa o resto para lá! :)

    ResponderExcluir
  18. Copa só p/ ver os jogadores..=x

    ResponderExcluir
  19. Eu sou diferente,torço muito pro meu time,mas não me animo com a seleção,ao menos não dessa vez,nem vou falar do Dunga porque bla bla blá wyska sechê,todo mundo só fala disso rsrs
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. eu sou sãopaulina, mas não assisto aos jogos! hsuahsuhauhsuhassa
    não é muito a minha, nem a copa é lá tudo isso...
    :**

    ResponderExcluir
  21. Meu Deus Anna! amei demais esse seu texto!
    só tenho isso a dizer! haha

    ;**

    ResponderExcluir
  22. Anninha,
    O seu jeito de escrever sempre deixa tudo melhor!
    Concordo com tudo q vc disse e estou com vc!
    Adoro torcer, gritar, sofrer, estando dentro de casa (prefiro tb)!
    E a gente tem que ter fé que o Brasil vai ganhar! nao so na Copa, mas em tudo que o pais precisa resolver! ;)
    Beijos, boa semana! e VAMOS LA BRASIL!!!!! O Chile ja era :PPPP kkkkk

    ResponderExcluir
  23. Sim Anna, é o velho pão e circo conhecido pelo povo, mas que não fica registrado em sua memória, parece.
    Foi no meio da comemoração e da empolgação que fizeram um reajuste de, salvo engano, 18% para os senadores. E quem viu? Não sei, muitos estavam preocupados com quantos gols a Argentina tinha avançado mais um passo para o possível futuro confronto com o Brasil.
    Não acho errado comemorar e curtir essa alegria. Aliás, merecemos! Mas queria ver esse ânimo, interesse e comprometimento com outras situações também. Cito aqui mais um exemplo, o #calabocagalvão. Milhões de tweets a respeito, engraçado, nossa união faz a força. Mas o que temos de fruto e realização com essa união mesmo?
    O bom disso tudo é que saímos mais cedo do trabalho, escolas não dão aula. Dessa parte que eu realmente gosto! :p
    Bjitos!

    ResponderExcluir