quinta-feira, 6 de março de 2014

Querida Anna,

Esse post faz parte da Blogagem Coletiva do Rotaroots, grupo criado para reunir blogueiros de raiz que sentem falta da blogosfera moleque e pé no chão. Para participar, junte-se a nós no grupo do Facebook mais cheio de nostalgia que já se teve notícia e coloque seu link no rotation. O tema desse mês é: carta aberta a meu eu de 10 anos atrás. A ideia foi da Paloma, inspirada por uma TAG vista no Hypeness.

Achei que essa ideia de escrever pra você bem a nossa cara. Você não sabe ainda, mas seu futuro livro favorito vai falar justamente a respeito de atar as duas pontas da vida - ainda não é hora de unir a adolescência à velhice, mas há pouco mais de uma semana foi nosso aniversário, eu completei vinte e você, dez. Não posso falar sobre o futuro, até porque não acredito nesses marcos pré-estabelecidos, mas posso dizer com certeza que os dez foram muito marcantes na nossa vida. Acho que foi o ano em que você começou a se transformar em mim, nos mais diversos sentidos. 

Dez anos e casualmente amarrando o casaco no pescoço porque sim
Você agora deve estar toda orgulhosa porque pode andar no banco da frente, assim como deve estar se gabando para todo mundo dois dois dígitos que sua nova idade ostenta.  Eu poderia ser romântica e óbvia e começar dizendo que é pra você ir devagar, que crescer não é tão bom assim e que é pra você curtir cada segundo dessa infância que já está indo embora. Mas eu estaria mentindo, pra mim e pra você, porque prefiro as coisas como estão. Não é nada pessoal, mas eu não daria tudo para voltar a ser você. 

Sempre que quer arranjar algum pretexto pra brigar com a gente, nosso pai diz que nós nos achamos donas do mundo e da verdade. É assim mesmo, mas nem sempre. Contudo, uma coisa que nunca mudou é que sempre fomos muito donas do nosso nariz e sempre sofremos com a dor de não poder proclamar independência ou morte sobre ele quando parece mais adequado. A gente é independente, desgarrada e gosta de tudo do nosso jeitinho, na hora que a gente quer. Essa urgência vai só crescer com o passar dos anos, e pode se preparar para passar muito tempo odiando ter que pedir dinheiro, carona e permissão. Nossa mãe ainda vai passar um bom tempo regulando sua hora de dormir e o que você deve comer, mas não fique muito brava com ela. Depois de um tempo você descobre que isso te fez uma pessoa bem melhor e vai chegar um dia em que você vai dormir a hora que quiser - o que é muito bom e muito ruim. 

Aliás, aprenda a andar de ônibus o quanto antes. Eu esperei muito tempo para fazer isso, mas eu sei que daqui uns dois anos você já vai ser esperta o suficiente para entrar no carro certo e puxar a cordinha na hora apropriada. Sério, a sua vida vai ficar bem mais fácil.

Ser dona da própria vida é muito legal, mas não fique pensando que se apoiar nos outros é uma fraqueza. Se apoie, se entregue e chore no ombro dos outros sempre que sentir vontade. Não é bonito posar de durona se for passar uma semana com o estômago doendo porque não conseguiu admitir que não estava tudo bem. Um dia você vai ver um filme que vai te ensinar que a verdadeira grandeza é levar um tombo muito grande e saber levantar. É bem mais elegante do que ficar se agarrando desesperadamente no que está ao redor, e faz com que a maior das dores doa bem menos. Não tenha medo e nem vergonha, porque você já tem as melhores pessoas do mundo do seu lado prontas pra segurar o tranco com você.


Aliás, preciso levar um papo sério sobre o medo, tanto comigo quanto com você. Pode parecer exagero meu te alertar para não se anular por conta dele, porque você ainda é uma garota ousada e corajosa, mil vezes melhor do que eu sou hoje, mas em algum ponto no meio do caminho algo ou alguém vai roubar essa coragem. Eu ainda não sei o que ou quem fez isso, mas estou te avisando de antemão que é pra você abrir os olhos e não deixar que isso aconteça de novo. Não tenha medo. Não tenha medo. Não tenha medo

Muito importante: assista O Chamado na primeira oportunidade que tiver. Eu sei que você tem pavor dessa história, mas isso só vai deixar a experiência mais emocionante. Dez anos depois você vai sonhar com esse medo delicioso e inocente que não volta nunca, e é melhor ficar umas noites sem dormir por conta dele do que assistir dando risadas desapontadas porque o filme que era a maior questão da sua vida no fundo não dá medo nenhum. 

E diga mais sim do que não - principalmente se esse não for por motivos de medo. Pense menos sobre as coisas e faça mais aquilo que te der vontade. Aceite mais convites, deixe que as pessoas cheguem até você com mais facilidade, e não se auto-sabote. Acredite em você, no seu taco e na sua intuição (nós somos muito boas nisso) e não problematize tanto. Pode ser que dê errado em algum momento, mas eu posso dizer com certeza que a gente não ganhou nada de muito relevante tentando ser perfeita o tempo inteiro. 

É mesmo pra você dizer mais sim do que não e também pra não pensar tanto sobre tudo, mas nunca faça as coisas só porque os outros estão fazendo, principalmente se você não tiver a menor vontade de fazê-lo. As pessoas vão rir de você por isso, vão te julgar e alguns amigos podem até ir embora, mas hoje eu posso dizer com certeza que a gente se livrou de vários problemas e arrependimentos que nunca precisamos nas nossas vidas. Essa coisa de só se arrepender do que não fez é uma das afirmativas mais estúpidas que eu já li. A gente vai deixar de fazer muitas coisas, mas vai ficar bem satisfeita no final. 

Pare o que estiver fazendo e vá ver Curtindo A Vida Adoidado!
Sei que disse que não queria trocar de lugar com você, mas se você tem uma vantagem gigantesca e irrecuperável sobre mim, e essa vantagem se chama tempo. Aos dez anos, little Anna, você tem todo o tempo do mundo diante de você. Aproveite ele da melhor forma que puder, quando e com o que quiser. Isso significa gastá-lo lendo todos aqueles livros, vendo e revendo todos aqueles filmes e desenhos, aprendendo o que estiver pela frente: piano (vai que ainda dá tempo), desenho, HTML e PHP. Aos 20 você ainda vai querer ler muita coisa, assistir e reassistir um monte de filmes, você vai querer voltar a ver desenho e voltar para as aulas de ballet, mas não vai poder porque não tem tempo. E isso às vezes é muito frustrante. Por isso, termine logo O Diário da Princesa e dê um jeito de começar Desventuras Em Série. Até hoje quero encarar essas séries, mas nunca encontro tempo para mais de vinte livros infantojuvenis de uma vez. 

O que mais eu posso te dizer? Relaxe e aprenda a rir de si mesma - nossa vida ficou muito mais fácil depois disso. Não espere tanto pra cortar o cabelo curto e nem pra ficar ruiva (sei que você nunca pensou nisso antes, mas vai por mim). Compre aquela camiseta amarela do Strokes, não deixe de ir naquele show da Amy Winehouse e nem de comprar o ingresso pro One Direction. Sério. Mesmo. E não tenha vergonha de gostar do que você gosta e de fazer o que você faz, mesmo que riam porque você sempre é a aluna que pega mais livros da biblioteca, mesmo que digam na escola que no fim de semana você decora a gramática, e nem pense em desistir do seu blog quando suas amigas pararem de achar isso legal. Se eu tivesse desistido, não estaria aqui hoje falando com você. 

Confie nos nossos pais. Acredite em Deus e tenha fé. 

Lembra do nosso livro favorito, aquele que você nem conhece ainda? No começo, o protagonista diz que quer unir as duas pontas da vida porque falta a ele o principal, que é ele mesmo. Não estou fazendo isso porque não me sinto morando em mim, como dizia aquela música da Adriana Calcanhoto que eu sei que você curte. Escrevo essas palavras porque me sinto mais minha do que nunca, e isso é visceralmente verdadeiro a ponto de eu escrever uma frase brega como essa. Outro livro que um dia você vai adorar traz o protagonista olhando para uma foto dele criança e pedindo desculpas àquele menininho e se perguntando o que deu errado no meio do caminho. Eu posso até pedir desculpas por ter frustrado muitas das suas expectativas, mas não me arrependo das escolhas que me trouxeram até aqui. Você não vai fazer Medicina, mas o espírito tranquilo de uma certeza é bem melhor que isso. 

E aí tem esse outro livro que fala sobre o abismo entre o que a gente era e o que a gente se tornou, que costuma ser bem surpreendente.  Estou acenando pra você do outro lado, com os cabelos bem mais curtos, pintados de ruivo (a raiz está enorme e eu juro que faço melhor que isso, mas já te adiantei que a falta de tempo vai ser uma questão na sua vida), as unhas pintadas de preto e um cachorrinho gordo e lindo sentado nos meus pés. A gente está dizendo pra você ter coragem e vir (e vir quicando), sem pensar muito e dando risada. Não tá cem por cento, mas tá tudo bem. 

Foto por Felipe Flores
Você está feliz por andar no banco pra frente, mas hoje eu dirijo pra cima e pra baixo. Mas pelo amor de Deus, não demore tanto pra tirar carteira de motorista.

* Estão me perguntando sobre os livros que eu cito: o primeiro é Dom Casmurro, o segundo é Alta Fidelidade e o terceiro é Um Dia :)

30 comentários:

  1. AI ANNA, FIQUEI EMOCIONADA LENDO ISSO. Dá cá um abraço!
    Acho que é porque esse ano saio dos 20 e vou pros 21 e tô mais nostálgica do que tudo na vida. </3
    Amo esse tipo de carta por causa da introspecção. Faz pensar tanto em como a gente mudou ou não mudou nada e como a gente tem uma tendência grande a crescer internamente. Enchi os olhos de lágrimas HAHAHA verdade!

    Amei demais! Aposto que a Anna Vitória de 10 anos já era uma gênia. HAHA

    Beijos, amiga! :D

    ResponderExcluir
  2. Queria ter sido tua amiga desde a infância, sabia? Little Anna com certeza já era uma pessoa genial!
    Ah! Avisa também a Little Anna que não vai demorar muito (ok, talvez um pouquinho), ela vai conhecer as gurias mais maravilhosas, lindas e humildes do mundo, todas com corações gigantes e prontas para uma amizade de resto da vida. <3
    Te amo!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Tô aqui morta e enterrada por causa desse texto, só isso que eu tenho a te dizer. Amiga, meu Deus do céu, eu sempre acho que você é incrível e insuperável e você insiste em aparecer com um trem desses e quebrar minhas pernas de novo. Continue quebrando, por favor, eu amo isso em você, amo ser sua fã, amo chorar escondido porque nunca vou chegar aos seus pés. E eu to falando tudo isso porque não sei o que falar, porque juro que morri, e que acho que não vou ousar fazer meu texto because of THIS, e porque to quase mandando você escrever um post para a minha Ana de hoje me mandando tomar vergonha na cara. Ah, preciso: TRATE DE LER DESVENTURAS EM SÉRIE. Não quero saber da Anna de 30, com um filho no colo e o outro chamando do banheiro porque acabou, reclamando que aos 20 tinha tempo e não sabia, tá bom? Violet, Klaus e Sunny fazem um bem pra nossa vida... Beijos! Te amo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci de adicionar no comentários meus grifos:
      "Depois de um tempo você descobre que isso te fez uma pessoa bem melhor e vai chegar um dia em que você vai dormir a hora que quiser - o que é muito bom e muito ruim. " e "não tenha medo. não tenha medo. não tenha medo." Chorando.

      Excluir
  4. Linda sua cartinha. Estou amando cada vez mais esse tema!
    Beijo, em você e na little Ana :)

    ResponderExcluir
  5. Eu nem sei o que comentar. Desculpa. Sei lá. Analu postou no Facebook e eu ainda estou digerindo isso aqui. Não sei mesmo o que comentar.

    ResponderExcluir
  6. Ai que carta linda! Eu amei o tema, mas confesso que depois de ler tudo isso, não sei como prosseguir com o meu! Demais! E fora que essa idade é perfeita! Já, eu... vou ter que reescrever pra Nathalia adolescente, com 16 anos....espero conseguir escrever com tanta delicadeza e inspiração quanto vc. beijos

    ResponderExcluir
  7. Amiga do céu, meu olho encheu de água aqui :') Me identifiquei tanto com seu texto e só fiquei com mais orgulho de ser sua amiga. Fiquei com vontade de abraçar a little Anna e mandar ela conversar com a little Tary. Acho que elas se dariam tão bem quanto nós.

    Amo tanto você que nem sei <3

    ResponderExcluir
  8. Gente, eu dei uma chorada BRUSCA com o espírito tranquilo da certeza.

    ResponderExcluir
  9. Escrever pra si mesmo é sempre um desafio, eu sou dessas que descobre um site que tem a proposta de enviar um email daqui a cinco anos, e escrevo quase um livro pra mim mesma. Agora para o eu do passado eu nunca pensei em escrever. Sua carta me fez voltar ao meu passado também, e com certeza eu me diria para não ter medo, e aproveitar bem mais. Mas ao contrario eu gostaria sim de voltar no tempo, talvez as coisas estariam melhor... Enfim, adorei sua carta, e como você disse: 'Não tá cem por cento, mas tá tudo bem.' Até aqui nada foi em vão, tudo foi aprendizado.
    Ps: Ainda bem que você não abandonou o blog!

    ResponderExcluir
  10. Eu sempre quis fazer essa TAG do hypeness, Annoca. E você me deu um baita incentivo. Mas, então. Que lindo. Você foi tão sutil e doce e maravilhosa. E eu nem sei o que comentar, porque essa carta poderia ser também pra Marie de dez anos atrás em muitos aspectos. Você é maravilhosa. E, como não poderia ser diferente, tudo o que você escreve também. Te amo!

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Lá estava eu indo dormir quando Analu diz: você já leu o post da Anna?

    Eu não tinha lido. Eu vim ler, e eu chorei. NAVITÓRIA PQ CE FAIZ IÇU?

    Sério, eu não vou conseguir dormir. Vou ficar pensando em como a little Giu amaria a little Anna e iria todos os dias com ela à biblioteca no intervalo das aulas. Em como você sempre foi incrível só por ser você e, talvez, pensando em algo pra dizer pra aquela menininha de óculos e sardas que ainda mora lá no sul.

    Só espero conseguir dar pra ela conselhos tão bons quanto os seus. Ah! Eu amo a vida por me dar a oportunidade de admirar pessoas como você (há uns bons anos).

    Beijoca (pra pônei de ontem e pra de hoje) <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PS: esse foi o comentário que tentei enviar vinte vezes e não foi nenhuma. Enviei ele pra mim mesma por e-mail porque queria que você soubesse o que pensei no exato momento em que li :D

      Excluir
  14. Estou amando esta TAG. Chorando os rins. Amei sua carta, vc é incrível, apenas pelo modo em que consegue tocar as pessoas com o que escreve. Coisas simples assim, sabe. Seu blog todo é incrível!

    ResponderExcluir
  15. AI MEU DEUS QUE COISA MAIS LINDA ANNA!!!

    Amei, apaixonei, nossa, foi emocionante demais, quase chorei caramba... Fiquei te imaginando pequeninha lendo essa cartinha e tentando compreender certas coisas que você escreveu. <3 <3

    "Mas pelo amor de Deus, não demore tanto pra tirar carteira de motorista."
    Desculpa, mas eu tive que dar risada! HAHAHA (sim, eu conheço a sua história sobre isso)

    Foi lindo! Até me inspirou em finalmente fazer o meu texto!
    Beijos ruivinha! :*

    ResponderExcluir
  16. CARAS. Não tá mais dando pra segurar (essa barra que é gostar de vocêêê) a vontade de escrever uma carta pra little Milena. Chorei aqui como chorei no da Analu.
    Todas nós já éramos absurdamente parecidas quando crianças. É incrível a sorte da gente ter se encontrado. Gosto demais desses textos mais emocionais, sabe? Sdds conseguir escrevê-los.
    Não sei o que aconteceu entre os 10 e os 20 anos que incute um medo bizarro na gente. NÃO SEI MAS GOSTARIA DE TER UMA CONVERSINHA COM ESSA COISA. E sei lá, mesmo com o medo todo você se saiu muito bem. Muito bem mesmo. Eu diria isso pra Little Anna. Mas puxaria a orelha dela mandando ir ler logo o Diário da Princesa porque assim ela e Little Milena teriam assunto pra começar essa amizade antes do tempo.
    ESTOU EMOCIONADA, SEI LÁ.
    Beijo <3

    P.S: Li Nada Dramática agorinha e acho mesmo que você devia ler porque é bem mais próxima da nossa realidade. E tem uma parte envolvendo Sidney Magal que eu quero muito que você tenha na sua vida porque é isso que desejamos pra quem amamos.

    ResponderExcluir
  17. Sabe, amiga, quando eu vi que você postou na Máfia e o pequeno trecho que Analú postou no mural dela, fiquei com medo de ler seu texto. Medo mesmo. Porque assim, se tem uma coisa que você é, é grande, imensa, majestosa por aqui. E eu tive medo porque sabia que você teria quebrado mais uma vez o record de melhor post do mundo e esperei até estar sozinha e no momento certo para poder ler o que você tinha pra dizer.
    Eu queria tanto, tanto ter te conhecido na infância. Só pra ficar repetindo o tempo todo: você é uma menininha genial, sabia disso? E por favor, você disse: pare já o que está fazendo e vá assistir "Curtindo a Vida Adoidado"! É um dos melhores conselhos que se pode dar a alguém.
    Você é incrível.
    De verdade!

    ResponderExcluir
  18. Que sensacional, tanto a ideia da postagem coletiva quanto a sua postagem, em especial. Pode ser a TPM, mas esse teu texto me deixou emocionada, com vontade de chorar que nem criança, com saudades da minha infância, de quem eu era, da inocência, dos meus sonhos. Fiquei tentada a escrever uma postagem igual, embora eu não saiba ao certo o que eu diria para a Gabriela aos oito anos, mas sei que, de certa forma, ela estaria orgulhosa de quem eu sou aos dezoito. Com certeza o seu eu aos 10 anos também se orgulharia da escritora incrível que ela se tornou.

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir
  19. Quando você falou desse meme tentei lembrar da Mayra de 10 anos atrás e não consegui imaginar uma carta que não fosse pra lá de trágica, porque com 9 anos minha vida começou a desandar. Aí venho, leio seu texto, me deparo com essa coisa incrível e a vontade de fazer o meu aparece. Tentarei fazer a semente da vontade crescer aqui dentro e talvez dê certo.
    Você é incrível e imagino que você com 10 anos devia ser mais incrível ainda. E peguei uma birra incrível de pessoas ruivas, mas você e a Petrucci eu ainda amo e sou apaixonada pelos cabelos incríveis.
    Tenho uma dúvida: você tirou a carteira de motorista ou dirige na doida? Não é a sua cara ser fora da lei, mas perdi a parte que vc realmente tirou a carteira!
    E muito legal a conexão com os livros!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  20. Que cartinha linda :~~~~~ Lendo os textos de todo mundo, só fico com vontade de dar uma voltadinha nos 10 anos atrás, só por um momento, e viver tudo aquilo de novo: a despreocupação, a tranquilidade, e até as pequenas raivas. Agora é tudo tão diferente...

    Belo texto! Um cheiro pra ti :~)

    ResponderExcluir
  21. Eu tinha desconfiado que o livro era Dom Casmurro! Um dos meus favoritos também (apesar de gostar mais de Memórias Póstumas)!

    Sério que você se mandou assistir ao Chamado com 10 anos???? kkkkkk

    Reforço o conselho que você deu a pequena Anna: Vá assistir a Curtindo a vida adoidado!!!

    Beijinhos e até!

    ResponderExcluir
  22. Esse tema é tão bonitinho e dá tanto o que pensar! Já li alguns posts no estilo e tenho gostado bastante :) Acho que a melhor parte é perceber que, quase sempre, a gente percebe que, como você disse no final, tá tudo bem.

    Gostei muito da sua carta pro seu eu de dez anos e achei bacana você dizer que prefere as coisas como estão. Acho que a gente não precisa voltar pra resolver as coisas que eventualmente não vão estar certas - mesmo o medo, mesmo os nãos ou o quer que seja. Não sei muito bem o que diria pra Fernanda de dez anos atrás, mas gostei muito de alguns dos seus conselhos pra Anna. Talvez eu fosse preguiçosa e mandasse a Fernanda de dez anos ler as cartas do pessoal e prestar bastante atenção nas parte que acho que caberiam pra ela. Seria preguiçoso, mas bem a minha cara.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  23. Eu não detestei minha infância, mas concordo contigo: não voltaria nem a pau a ter +10- anos.
    Quando a gente é criança pensa que tudo vai ser super simples e melhor quando crescermos. A parte do melhor até concordo, mas simples jamais. As preocupações se tornam realmente importantes e nos notamos sozinhas num mundo enorme e assustador. Mas isso é bom também 
    Haha tu tinha medo do Chamado e eu da parte do ET de Passo Fundo no Sinais, com o Mel Gibson xD que coisa bem tosca né, mas na época foi tenso...
    Esse negócio de tempo me deixa triste... queria ter mais tempo pra estudar e ler tudo o que eu gosto, mas e quem diz que o trabalho e a faculdade deixam?
    Adorei a carta e o blog! Um beijo! :*

    ResponderExcluir
  24. "Não tenha medo e nem vergonha, porque você já tem as melhores pessoas do mundo do seu lado prontas pra segurar o tranco com você." <3

    ResponderExcluir
  25. Uma certeza: Sua Anna de 10 anos vai olhar para essa carta e dizer: "Caramba, eu me tornei a menina mais legal do mundo!". =) Eu ri na parte de você dizendo pra ela ir logo assistir O Chamado hahahaha aproveira e diz pra ela levar um tanque de oxigenio, por que aquele filme aos 10 anos é de tirar todo o fôlego do corpo! hahaha Beijão!

    ResponderExcluir
  26. Hoje é tão mais tranquilo olhar para trás e ver como era a nossa vida. E pensar que viviamos apreensivas em viver. Dá saudade do tempo! Mas dá tanta vontade de dar dicas mesmo. E me encontrei tanto na sua carta. Poderia até mandar um parte dela para a pequena Kamilla. Porque não ter medo, não ter medo, não ter medo é algo que eu precisava ouvir desde cedo.

    ResponderExcluir
  27. Ai que carta maravilhosa também. <3
    Seria tão mais fácil se recebêssemos essas cartas do futuro mesmo né?
    Ai, como eu achava que tava grande com dois dígitos. HAHA
    Mas ao contrário de você, continuo só andando no banco da frente, nada evoluiu muito. Não tenho carteira de motorista ainda. Horrível isso.

    Acho que independente da idade, este é o conselho mais valioso que podemos nos dar:
    "Confie nos nossos pais. Acredite em Deus e tenha fé. "

    Mini Anna muito fofa, aliás. ♥

    ResponderExcluir