sexta-feira, 3 de agosto de 2012

O caso dos irmãos Endres

Uma das frases favoritas dos caga-regras da internet é a famigerada "No Twitter/Facebook, em dia de jogo, todo mundo vira técnico", ou alguma variante igualmente pedante. Em época de Olimpíadas então, a frase pulula por aí quase tanto quanto os especialistas instantâneos em esgrima e arremesso de peso. Como boa arroz-de-festa que sou, eu adoro essa época. Confesso que já fui de participar bem mais, mas ainda assim me empolgo e adoro ligar em algum canal de esportes despretensiosamente, como quem chega e diz "o que estamos vendo?" e cinco minutos depois estar dando palpite e entendendo horrores, ainda que nunca tenha visto um jogo de tênis na vida, ou que ache lindo aquele salto que ganhou nota baixa ou que tenha passado os últimos quatro anos sem nem notar que tenho cinco canais de esporte em casa.

Só que eu sempre gostei de vôlei, sabe? Independentemente de Olimpíadas ou Grand Prix, sempre paro em frente a TV nos domingos de jogo. Lembro do quão desolada fiquei quando os bonitos da seleção brasileira vieram jogar em Uberlândia e eu fiquei sem ingresso. E olha, eu até entendo um pouco da coisa. Fiz aulas de vôlei por dois anos - uma última tentativa desesperada dos meus pais de me fazer gostar de algum tipo de esporte - e seria injusto dizer que eu era um fracasso total. Eu não sabia, nunca soube e provavelmente jamais aprenderei a sacar, mas confio nos meus reflexos, mais do que até numa possível desenvoltura pra esportes. Então eu sempre gostei de ver jogos de vôlei, que mesmo quando ficam monótonos, o que é raro, nos oferecem um espetáculo aos olhos ao nos oferecer uma seleção cheia de meninos altos e mui simpáticos. Nunca sei se olho pra bola ou pra quem bate nela. 

Eu posso até jogar vôlei mais ou menos, entender um tiquinho aqui e acolá e acordar mais cedo no domingo para prestigiar os canarinhos, mas não deixo de ser um pouco lerda na hora de compreender totalmente o que se passa em quadra. Os meus jogadores favoritos são o Giba  - dã! -, o Andrezinho - André Heller, para os não íntimos - e o Murislavo - só para minha cabeça de magre mesmo. Explico: por muito, muito tempo, eu pensava que o Murilo e o Gustavo eram a mesma pessoa. 

Para quem não está familiarizado com as graças, os irmãos Endres são os ruivinhos que defendem bravamente a nossa seleção de vôlei. O Gustavo é mais velho e mais alto e o Murilo é um pouco menor, mais narigudo e com mais olheiras. Sei que meus adjetivos não são os melhores do mundo, mas veja se você não concorda comigo que é perfeitamente possível mandar um call me maybe pros dois:


Aí que eu não sou a pessoa mais atenta e esperta do mundo - sou dessas que grita gol quando vê a bola balançar a rede por trás - e ficava encabulada quando via os dois juntos em quadra. É tanta coisa pra prestar atenção que minha cabeça automaticamente assumia que era mais provável que minha distração fizesse com que eu acreditasse que estava vendo ruivos em dobro numa mesma quadra do que a existência factual deles. Minha falta de memória também não ajudava muito, já que quando o narrador da partida falava do Murilo, eu pensava: mas gente, não era Gustavo o nome dele?, e quando falava do Gustavo, eu logo me perguntava: uai, não era Murilo? Novamente, atribuía a confusão à minha falta de memória. Larga de ser maluca, Anna Vitória, de onde você tirou que tem Murilo nessa seleção? 

Não lembro direito quando se deu o momento de iluminação ao perceber que sempre houve dois Endres em quadra, mas sei que ele fez com que eu me sentisse bem estúpida. Não estúpida o suficiente, pois esse ano quase caí nessa armadilha de novo. Não acompanho os bastidores do esporte, logo, não sabia que Gustavo já tinha se aposentado, voltado, mas que agora está machucado. Sei lá quanto tempo de jogo já tinha se passado quando, depois de um breve susto, me perguntei: cadê o Endres que tava aqui? Eu poderia jurar que havia dois deles!

Havia mesmo, foi o que descobri numa breve visita ao Oráculo. Fui logo na busca por imagens, para firmar bem a carinha dos dois na minha cabeça - como se precisasse de reforço - e escrevo este texto na esperança de que, uma vez que minha humilhação agora é pública, eu passe a prestar mais atenção nas coisas e não caia nessa novamente. Gustavo é Gustavo e Murilo é Murilo. Murislavo - ou Gustilo, fica a gosto do freguês - is no more.

Meu futuro no jornalismo esportivo é muito promissor.



14 comentários:

  1. Eu adooooro vôlei! Eu tentava jogar no colégio mas sou muito baixa. E sempre assistia de manhã os jogos, não perdia um, mas agora nem consigo assistir mais, sempre esqueço. E quando você falou que o Gustavo joga na seleção, ai eu pensei: poxa, ele nem tá jogando mais, ou eu confundi tudo? hahaha. Outro que gosto de acompanhar também é a natação, porque já fiz e adoro o esporte. Beijos :D

    ResponderExcluir
  2. Eu me mato de rir com você. O post foi ótimo, mas essa última frase me matou. Só porque eu te imaginei num daqueles estúdios bem chiques e cheio de vidro do SPORTV? Filha, você é promissora no que você quiser. E eu vou ser obrigada a escrever também um post sobre as olimpíadas. Porque se tem alguém mais arroz-de-olimpíada nessa vida, sou eu. É quando eu descubro que eu vivo numa boa sem novela, mas jamais sem os 5 canais de esporte! <3

    ResponderExcluir
  3. Chame os bombeiros, estou em chamas! A equipe masculina de vôlei é um 'deus nos acuda' de tão interessante! Eu só sei o nome do Giba... o resto, só conheço por rosto (e coxas).

    ResponderExcluir
  4. Hahahaha...
    Ai, Anna, você é uma graça. Morro de rir com os seus posts, moça!
    Adoro vôlei, cara. É um esporte muito legal (não mais que a natação, mas ok). Vou te confessar uma coisa: sempre fui apaixonada pelo Murilo. Aliás, pelo Murilo e pelo Giba. Ah, e o Vissotto é bem bonitinho. Ah, e o Sidão também tem um charminho. E o Lucão! E o Bruninho! Ah, são lindos também! ~pirei~
    Mas é sério, esses carinhas do vôlei, além de lindos, jogam muuuito.

    Beijo!

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  5. Esses dias um locutor confundiu Murilo com Gustavo durante grande parte do jogo(isso ocorreu na rede grobo).

    O pior é que ele comemorava com tanta efusividade os pontos do Gustavo,mas era do Murilo.

    Eu ri muito.

    ResponderExcluir
  6. Ah, tão legal ser treinador especialista nessa época hahaha
    Mas olha, preciso confessar aqui que detesto vôlei e não assisto aos jogos, mas até que sou ligada nas notícias, nos jogadores e nas jogadoras. Sempre simpatizei com Murilo e Gustavo!
    Tenho altos traumas, pois eu era uma péssima jogadora de vôlei nas aulas de educação física hahaha
    Ri muito com "Murislavo ou Gustilo" hahahahahaha

    ResponderExcluir
  7. Eu ri.

    Sempre soube que eram dois, porque para mim, a semelhança é semelhante, porém diferente, haha. E o André, gente, acho que todo mundo baba por ele. Tem uma carinha que ó, sei não.... E Giba nem vale kkkk, nem vale....

    ResponderExcluir
  8. Eu realmente não sei nada de esportes, nada. E tenho Jor Esportivo no próximo semestre. Show, né? Só entendo de natação e... ainda assim, difícil. Nomes então, pff. Entendo completamente sua confusão com as coisas todas rs.

    ResponderExcluir
  9. Eu AMO/SOU assistir jogos de volei. Não que eu jogue bem, na verdade fiz 6 meses de curso pra saber jogar, porque eu terrível jogando, haha. MAs eu sempre amei assistir. E minha paixão pelos meninos do vôlei surgiu já faz uns anos, são lindjos, né? O Murilo é casado com a Jaque do feminino, tô certa? Acho que sim, preguiça de googlear. Você arrasa e nem se esforça, garota. Sucesso em qualquer editoria, haha. Beijos, pônei linda!

    ResponderExcluir
  10. Se essa é sua vontade, vá!
    Blog atualizado.

    ResponderExcluir
  11. AHUAHUAHUAAHUAHUAHUAHUAHU PUTS, GRITEI RINDO. Cara, eu sempre achei eles parecidos, mas nunca me toquei pro fato de que são irmãos. Sério, NUNCA! Obrigada por me iluminar, Annoca, senão eu viveria para sempre no escuro sobre esses dois.

    E, ah, Giba é maioria né? Não tem como não querer esse cara pra abraçar! <3

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Ai gente, eu sou A LOUCA DO VOLEI e já vi a seleção feminina jogar, mas a masculina ainda nao tive oportunidade, quem sabe um dia... O fato é que nao perco um jogo sequer das olimpiadas, conheço todos eles, faria todos eles e outro dia sonhei que Murilo era meu primo e queria trair a Jaque - esposa dele - comigo. Vê se pode. Enfim. Seu futuro no jornalismo esportivo seria deploravel mesmo, rs.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Adorei! HAHAHA. Sempre fui fã de Murislavo, com preferência pelo Murilo. Eu sempre soube que eram dois Endres, mas já os confundi e chamei o Gustavo de Murilo e vice-versa.

    ResponderExcluir
  14. Como não amar seus textos e os ruivinhos?

    ResponderExcluir