quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Olá furacão!

Verdade seja dita: sempre achei tietagem uma coisa cafona pra caramba. Nunca entendi aquelas garotas histéricas jogando bichos de pelúcia e calcinha nos palcos, endeusando pessoas que nunca saberão quem elas são, e não estão nem aí pra isso. Sem falar que essa autógrafos e fotos me soavam muito mais como coisa que se faz quando encontra o Fiuk aos onze anos de idade. Aí que eu vivia pensando em como reagiria se por um acaso um dia encontrasse alguém que eu realmente curto e admiro, se eu teria lá esse meu auto-controle ou se me portaria tal e qual pré-adolescentes que vão pra porta da MTV ficar gritando o nome do vocalista do Restart. Sexta-feira passada tive certeza que, dentre tantas coisas, viemos a esse mundo para pagar a língua, eu principalmente.

Depois do show um amigo meu tentou subir no palco para procurar alguma palheta que o pessoal da banda poderia ter deixado cair. Não encontrando, ele conseguiu a folha com o setlist e uma informação preciosa com um dos caras da produção que era a cara do João Gordo: o hotel onde a banda estava hospedada.

Corremos pra lá imediatamente e sondamos na porta se a informação procedia. As pessoas estavam fazendo um corpo mole para nos dar a informação, mas logo que van da produção chegou e o pseudo-João Gordo nos confirmou que a banda estava mesmo lá e que desceria em breve, uma certeza palpitou no meu coração: dentro de poucos minutos eu veria o Jon. Maldita hora em que fui criticar as menininhas que acampam na porta da MTV, olha a situação em que eu me encontrava no momento: fazendo plantão na porta de um hotel, às 2h da manhã, desarrumada com meu all starzinho velho de guerra de um jeito que só fica mesmo quem passou as últimas 2 horas num aglomerado humano pulando feito maluca; em outras palavras: eu estava podre.

Quem desceu primeiro foi o Jerome, tecladista e guitarrista da banda, que ficou muito meu chapa lá do palco e um guitarrista-bacana-que-eu-não-sei-o-nome que estava substituindo o Drew, cuja esposa estava tendo bebê (quem me contou isso foi o Jon, ok). Consegui manter a calma e a classe, conversei com eles feito gente civilizada, gastei meu inglês, puxei sardinha, perguntei se tinham planos de voltar ao Brasil, o que eles estavam achando daqui, o que acharam do show e uns quinze minutos de blablabla. Fiquei encantada com a humildade deles, que conversaram conosco numa boa, mesmo estando super cansados do show e já tendo que ir pra estrada novamente. Por fim, peguei autógrafos e tirei fotos, já que estava na chuva melhor me molhar de uma vez.

Eis que então surge uma luz loira saindo do elevador. Durante o tempo em que estava lá, me preparei mentalmente para aquele momento, para não gritar, não espernear, não começar a ter crises de riso e bater palmas, que é o que eu faço quando estou nervosa. Em passos largos me dirigi até ele, e quando vi, de repente não mais que de repente, lá estava eu, frente a frente com Jon Foreman. Fiquei alguns segundos olhando para ele com cara de idiota, tentando sacar o quão azuis eram aqueles olhos; consegui soltar um tímido "hi", que ele retribuiu com um largo sorriso, me estendendo a mão e dizendo "nice to meet you". Retribuí o aperto de mão e lhe dei um - contido, juro! - abraço. Eu não podia deixar essa chance passar, ele está na minha lista das cinco pessoas que eu preciso abraçar antes de morrer e sabe Deus quando - e se - eu teria uma chance dessas novamente.

Apesar de todo o abobamento até que consegui falar com ele feito gente. Contei que era a menina do cartaz vermelho, e tive um "wow, thank you, that was beautiful" como resposta. Para ser sincera, nem me lembro o que mais conversei com ele, de repente as pessoas começaram a chegar e eu tive que dividir a atenção do meu muso do verão. Eu ficava lá com um sorriso de algodão doce do tamanho do mundo e só conseguia pensar, cara, que pessoa mais linda. Porque além de ser realmente lindo fisicamente, o Jon escreve músicas bacanas e bonitas pra caramba, e como se não bastasse ele é em si um homem muito legal. Óbvio que não posso afirmar isso com toda certeza do mundo, mas só pela atitude demonstrada durante o show, ali no hotel, e em outras ocasiões (como quando ele, depois de um show, tocou num estacionamento para algumas pessoas), dá pra ver que cara bacana ele é. Admiro muitos artistas, dentre músicos, escritores, atores e diretores, mas raramente essa admiração se estende para além do trabalho, aliás, vai entender porque a maioria das pessoas cujo trabalho eu gosto não são lá tão legais na vida real, é difícil entender como alguém consegue fazer músicas lindas, escrever livros e dirigir filmes geniais e de sensibilidade extrema e ser um crápula na vida real. Em resumo, estou apaixonada.

Pela minha expressão nas fotos dá pra perceber a emoção do momento. Sou só dentes e bochechas. Claro que eu não passaria por isso livre de alguma trapalhada, e ela se deu logo quando fomos tirar a foto abaixo. Jon, por incrível que pareça, é bem baixinho, inclusive menor que eu. Na hora de bater a foto eu, que não havia percebido isso, além de ter postado meu cabeção na sua frente, ainda lhe dei uma bela trombada. É como eu falo pra Naná, as coisas nunca acontecem com a gente sem esses momentos estrupiados para entrar pra história.

Peguei vários autógrafos do Jon, toda hora eu voltava pro final da fila para pegar mais um. Ele assinou dois papéis (um pra mim e outro pra Isa) e minha pulserinha do show. Queria muito ter pedido pra ele assinar meu All Star também, mas eu guardo em mim uma certa finesse a ser preservada e também fiquei pensando que depois do baile daquela noite meu tênis precisaria de um banho e eu não queria desperdiçar uma assinatura do Jonzito.

Mais atrasadinhos, desceram depois Tim Foreman (irmão do Jon), baixista da banda, e o Chad, o bateirista. Vale notar que, depois do Jon, Chad é o mais bonito de todos, tem uma barba charmosa e olhos azuis imensos, só que ele não estava muito de papo não, imagino que devia estar quebradíssimo por causa do show, bateristas cansam muito. Por isso, tiramos foto só mesmo com o Tim, que é baixinho e todo amor.

Contando toda a aventura pro meu pai, só ouvi que "a gente cria a filha com leite de cabras virgens do Tibet (ele sempre diz isso), paga colégio caro, repassa sabedorias de vida pra no final ela acabar tirando foto com roqueiros em porta de hotel em plena madrugada" e é isso mesmo e eu não estou nem aí. Na manhã de sábado um amigo meu brincou e disse "nossa, essa noite tive um sonho muito louco, sonhei que a gente tinha ido no hotel e tirado foto com os caras!" e a sensação é exatamente essa. Viva as groupies de todo mundo!

23 comentários:

  1. AII NEM SEI O QUE FALAR. MAS O QUE EU FOR FALAR MESMO VAI SER EM CAIXA ALTA PORQUE É MEU JEITINHO..

    NACREDITO ATÉ AGORA QUE DEU ERRADO PRA EU TER IDO JUNTO, MAS SÓ TENHO DOIS COMENTARIOS

    1. NAO PARO DE OLHAR A MAOZINHA DELE NAS SUAS COSTAS
    2. QUERO MEU AUTOGRAFO, AMANHA PEGAREI.

    UM BJS

    ResponderExcluir
  2. Ah que legal!
    Eu acabei de dar uma de tiete com o Tiago Iorc, cheguei agorinha do show!
    HUIASHDHSAI
    Eu acho que meu inglês sumiria numa hora dessas, Anna!
    E olha, Jon é mais acessível que os caras do Improvável, que só tira foto com produtor e menos de cinco minutos pra bater papo. TRISTE!

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. obrigado por não revelar o nome do amigo que pendura no palco, hahaha

    ResponderExcluir
  4. Fui lendo todo o seu relato e foi me dando uma invejinha... Não acredito que eles cantaram On fire e eu não estava lá pra ouvir. E você ainda tirou fotos, que sortuda! Fico feliz por você, de coração :)
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Aaaah Anna, só você! hahahahaha Me divirto muito com seus posts. Enfim, te acho bem única :)
    Nunca tietei e é em parte é porque não tenho coragem de ir a show. Ser apertada e expremida no meio de uma multidão não acho muito legal. Acho bem parecido com trem, na verdade, mas com trilha sonora. Mas um dia juro que ainda tomo coragem e vou. Ou na hora H me acovardo e compro ingresso pra área VIP.
    Ah eu já fui a show sim, lembrei. The fevers em Muriqui, sentadinha numa mesa e cantando toda feliz. Eu e as vovós achamos bonzão 8)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Eu ri da sua história! haha Olha, eu entendo vc, eu nem sei se manteria o controle se encontrasse com um ídolo, e admito que sou fã de algumas bandas e tal... Fã sim, tiete NUNCA. COncordei muito com o primeiro paragrafo do seu post: "Nunca entendi aquelas garotas histéricas jogando bichos de pelúcia e calcinha nos palcos, endeusando pessoas que nunca saberão quem elas são, e não estão nem aí pra isso." Cara, eu vivo dizendo isso para as minhas amigas histéricas. hahaha eh isso, jah faz bastante tempo que eu não venho no seu blog, né? Bjão!

    ResponderExcluir
  7. Hey ^^

    Haaaa estamos aí pra nos divertir, quando o momento pedir... kkk muito boa sua resenha, eu adoro MCR fui no show há 2 anos atrás curti muitooo, é por aí... condeno sim as loucas e a gritaria, borá conversar como gente....

    Xoxo

    :: Loma

    ResponderExcluir
  8. :D
    UAU, parece que foi bacana mesmo, hein?? Fico muito feliz...
    Realmente parece que vc aproveitou ao máximo do show e até "realizou alguns sonhos"! ^^
    Deve ter sido difícil pra você acreditar que isso realmente aconteceu, não é? Eu mesmo fiquei totalmente surpreso de saber que ele mostrou pra todos o seu cartaz!! hahaha
    Bem, agora ainda que a vida volte ao normal, ela nunca vai ser mesma né... Eu acho que sem dúvida essa experiência te marcou pra sempre! (estou errado? :P)
    Torço para que você ainda possa ter muitos momentos tão ou mais emocionantes como esse!

    Beijos

    PS: Como você, também não me entra na cabeça como alguém pode ter tanta sensibilidade ao compor uma obra e, na verdade, ser alguém de personalidade tão ordinária. :X

    ResponderExcluir
  9. Que maraaa... gosto de artistaas assim, humildes, que falam com os fãs, fazem coisas por eles..
    Ameei o post :*

    ResponderExcluir
  10. Comentário rápido porque estou no estágio e preciso ir pro inglês (e estou aqui procrastinando, óbvio): pelo menos você não tem uma história pra contar sobre ter ido ao aeroporto pegar autógrafos do É o Tchan! A vida não é justa comigo.
    hahahaha

    ResponderExcluir
  11. Eu acho tudo isso surreal, e queria estar junto com vocês :')
    Eu fiquei que nem a Isa, olhando para a mãozinha do Jon em você, se fosse eu não ia mais lavar a blusa, brincadeirinha hahaha.
    O Jon foi feito para mim, ele é O cara.
    Enfim, eu tinha feito um comentário, só que não foi hahaaha, agora não ficou do jeito que eu queria.
    Um dia eu conheço o Jon e viveremos felizes para sempre.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. hahaahahaha gostei muito,muito

    ResponderExcluir
  13. Nossa, acabei de fazer um comentário e sem querer apagar. ¬¬. Vamos de novo, hahaha.
    Eu acho que consigo descrever a emoção que vc sentiu, pq foi igual a minha ao ver os meninos do vôlei! E parabéns pelo seu abraço contido no Jon, lembre-se que eu 'agarrei' o Giba! Hahaha.
    Com certeza esse foi um momento mágico!
    *_*
    Beijoss

    ResponderExcluir
  14. Caraca, que maneiro! Ah, eu admito, se fosse eu no seu lugar encontrando minha banda favorita teria feito a mesma coisa! É uma chance única, não tem como disperdiçar! Só não vale fazer algumas loucuras de pré-adolescente, né? ahuahuaa
    Mas sério, achei muito legal mesmo isso! Senti até um pouco de inveja haahah!!

    Beijos ;*

    ResponderExcluir
  15. Alguns pensamentos que eu tive enquanto lia seu post: "duas da manhã?????????????????"
    "Se eu fosse irmã mais velha desta menina ia aparecer na porta do hotel: Anna Vitóóriaaaaaaaaaa"... hahahahahaha... veja, este é meu lado conservador. Mas eu tenho o lado que acha que esta noite foi linda e que vai ficar pra sempre na sua memória. E que você precisaaaaaaaaaaaa assistir ALMOST FAMOUS... se é que ainda não assistiu.
    Agora vou eu querer tirar uma foto com o Bono Vox...
    beijos!!!

    ResponderExcluir
  16. Só posso dizer que vc tava muito certa!
    Eu me arrependo de não ter corrido atrás dos meus quando estiveram por aqui,deveria ter plantado uma barraca na porta do Hotel,alugado quarto ou qlqr coisa,vc foi sortuda!
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. shaushauhsuash que incrível! Um dia eu ainda vou ter um momento tieta desses :)
    beijos!

    ResponderExcluir
  18. EEEEEEEEEEEEEEe, que legal Anna!
    Tem que se jogar mesmo! e acho que vc ate se segurou demais... euheuehe!
    E valeu mtooo a pena, adorei as fotos! e ele segurando nas suas costas eh TUDO! :D
    E o discurso do seu pai no final eu dei trela aqui... rs!
    Nao preciso nem perguntar como vc esta dps disso, pq ja sei a resposta ;D
    E viva as groupies!!!!!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Nooooffa, ainda teve maais *-*
    Você definitivamente realizou um sonho! oaksoaksoaksoaksa
    Eles realmente são muito lindos! =3

    Beeijos!

    ResponderExcluir
  20. Engraçado... Eu condeno todo mundo que faz esse tipo de coisa, que se escabela pelo Fiuk e tal. Mas acho que se eu visse a Amy Winehouse, que é a única cantora que faz sentindo na minha vida hoje, com certeza eu ia virar uma menina de 10 anos de novo! :) Ficou feliz por ve-los??? ^^

    thaisacorrea.com

    ResponderExcluir
  21. Moça,

    eu não ia comentar, mas vou.
    Nunca fui muito de tietagem, acho breguíssimo, mas na sua situação, eu tenho certeza absoluta que faria o mesmo.
    Que sonho!
    Fiquei muito feliz por você.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  22. É mais ou menos assim mesmo rs A gente jura que nunca vai entrar nessas maluquices de fã e quando dá de cara com o "ídolo" entra em um estado alternativo e parece que foi possuida pelo espírito da tietagem. Nunca me vi numa situação assim como a sua, mas já tive parecidas... Você tá tão feliz que dá pra sentir pelas fotos.
    Tem que curtir e aproveitar o momento mesmo! rs

    Beeijos :*

    ResponderExcluir
  23. oi anna!
    adorei o teu post. também sou fã de switchfoot há alguns anos e fui no show deles lá em toronto, quando me apaixonei mais ainda. a voz do jon é linda (e ele também, óbvio) e as músicas são todas perfeitas... e eu entendo perfeitamente o que é ficar de plantão nos lugares para esperar uma oportunidade de ficar 2s ao lado de alguém que a gente admira muito... fico feliz que tu tenha conseguido falar com ele, tirar fotos e pegar autógrafo! não existe nada melhor... como estava o show? aposto que tava ótimo, né?

    beijos! =***

    ResponderExcluir