segunda-feira, 2 de abril de 2012

BRINKS

Vocês já imaginaram como seria escrever um texto se passando por outra pessoa? E já pensaram em como seria maluco se alguém escrevesse algo se passando por você? Essa foi a ideia que a Mari teve e compartilhou na Máfia há uns meses, e esse mote ghostwriter acabou inspirando um meme de primeiro de abril para enganar vocês, queridos leitores.

O inusitado foi que, naquele oba-oba da empolgação com a nova ideia, ninguém parou pra pensar em como isso iria mexer com todas nós. Pelo menos eu nunca tinha parado pra pensar que escrever como alguém e ler um texto escrito como se fosse meu seria tão estranho. Confesso que escrever, para mim, nem foi tão difícil assim, mas juro que tive uma sensação um pouco estranha na hora de postar algo que não foi feito por mim aqui no blog.

Como a Deyse bem disse na Máfia, se tem uma coisa que é totalmente minha nessa vida, é o blog. Não vou mentir que estou inteira nesses mais de quatro anos de arquivo, porque sim, tem muita coisa que não posto e não sou a maior fã do mundo de textos estritamente pessoais, mas isso não anula o fato de que todas essas centenas de posts tem a minha pessoa como cerne, sem exceção. Ler esses arquivos é ler a minha história, ainda que apenas um viés dela. Eu criei esse blog com uma motivação inicial de escrever lembranças para que eu nunca me esquecesse delas. É por isso que por mais que alguns posts lá de trás me deixem meio envergonhada, não tenho coragem de deletá-los. Por mais bregas, mal escritos e bobos que alguns sejam, se estão lá é porque um dia eu fui brega, boba e escrevi mal. E talvez eu ainda seja brega, boba e escreva mal, e irei descobrir isso daqui há uns anos, quando estiver um cadiquinho melhor.

Foi por isso, portanto, que tomei a liberdade de fazer algumas pequenas alterações no texto que recebi. O original, por exemplo, falava sobre imparcialidade num texto jornalístico, coisa que veementemente não acredito e, portanto, tive que mudar. Outro toque meu que dei foi mencionar o filme do Woody Allen, para que ficasse mais com a minha cara. De resto, acho que o único aspecto que uma pessoa poderia se apegar para afirmar que o texto do post passado não foi escrito por mim é o do tamanho. Dá pra contar nos dedos de uma mão a quantidade de posts tão sucintos aqui no blog. Ainda não sei quem o escreveu, mas gostaria de dizer que fiquei feliz por ela ter escolhido um tema que me é tão caro e usado como base o texto do Forastieri, que compartilhei no Facebook há uns dias. 

Já eu, pra acabar logo com esse mistério, escrevi um texto pro blog da Cih, do Frases Mais Azuis, "Medo de Ser Jane". Antes mesmo de saber que era ela minha amiga secreta de primeiro de abril, tomei a decisão de abandonar a pretensão de achar que iria escrever como uma outra pessoa, mas sim buscar algo que tivesse em comum com ela para que eu construísse algo que poderia tanto ser meu como dela. O resultado do sorteio me ajudou bastante, já que me identifico muito com o lado da Cih de ser apaixonada por comédias românticas e gostar de filosofar sobre elas. Adoro quando ela faz posts no estilo e a ideia me veio assim que abri o e-mail com o resultado. Espero que ela tenha curtido e me perdoado pela licença poética ao dizer que ela se afligia por ter medo de ser uma heroína frustrada. Se não tiver, desconsidere. Eu, pelo menos, tenho.

12 comentários:

  1. opa, eu não caí! eu gostei bastante do tema, mas não comentei. sei lá, acho que faltou algo... talvez mais palavras já que seu texto é enorme =X

    e por ser um assunto que sugere bastante profundidade, estranhei você não se alongar... hahahahaha

    mas falando sério, gostei bastante da ideia do meme... pra fugir das tradicionais mentirinhas rasas de 1 de abril ;)

    ResponderExcluir
  2. Anna, o da Cih foi um dos que eu mais gostei e me identifiquei. Mas jamais adivinharia que era você, gente! Você imitou ela perfeitamente! Arrasou, amiga. De verdade.


    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Bom, eu já sabia da brincadeira, né! Mas mesmo se não soubesse, saberia que o texto não era seu haha Infelizmente não participei, bem me lembro, por culpa da oficina de texto (que comeu meu tempo e ainda arrotou na minha cara) e outros contratempos... mas, quem sabe na próxima! A brincadeira foi divertida, sem dúvidas!

    ResponderExcluir
  4. Anninha!! Eu amei demais o texto, nunca alguém se pareceu tanto comigo na escrita, jamais imaginei que era você!!
    Pode acreditar, agora sei porque você vai ser jornalista, você escreve incrívelmente bem!Até sobre pressão rsrs!
    Beijos e obrigada de novo!

    ResponderExcluir
  5. Amei o texto que vc escreveu!!! Sempre amo, né. Heh e a Analu jurava que tinha sido eu, magina? EU comparada com ~~ANNA VITORIA ROCHA~~ ahã, senta lá Claudia. Jamais teria aquela criatividade e liberdade em escrever no blog de outra pessoa!
    Mas gente, essa brincadeira foi difícil mesmo! Queria ter postado um texto não meu no meu blog pra ver a sensação, quem sabe um dia heheh O fato é que mesmo tendo sido doída e um tanto traumática, já estou com vontade de fazer de novo!
    Beijosss
    (P.S.: o tamanho do texto passado realmente entregou)

    ResponderExcluir
  6. Menina, eu jurava que você tinha escrito o da Tary! E adorei seu post de revelação, haha. A Paloma falou que se bateu pra escrever o meu, justamente por causa do tamanho dos meus posts, enquanto os dela costumam ser pequenos! Mas não é que a menina conseguiu fazer um postão? Que deixou todo mundo babando com um encontro mafioso, ainda por cima, hahah!
    Beijos, minha Annoca!

    ResponderExcluir
  7. Sou uma leitora fantasma (shame on me) leio todos os seus posts e fiquei meio desconfiada desse anterior. Deixei passar porque nem lembrei do tal 1º de Abril. Mas sabia que havia um problema, li e não senti, como disseram, ficou meio que faltando algo, talvez pelo tamanho ou sei lá. Agora está explicado. haha

    Ps: Vou me esforçar pra comentar mais por aqui, procuro ler os comentários também mas não comento pq parecem tão íntimos e eu nem blog tenho rsrs

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Eu adorei o texto que fez para a Cih! Nem sou tão romântica, mas me identifiquei! E parecia mesmo a Cih!!

    ResponderExcluir
  9. Jessica Ferreira3 de abril de 2012 11:57

    Depois desse último comentário, tive que sair da moita... husahsua

    Além do nome, expressou minha relação com seu blog. Passo todos os dias por aqui, leio tudo o que você escreve. Não comento por ficar sem jeito e/ou preguiça.

    E só pra constar, compraria um livro só por ter a sua assinatura.

    ResponderExcluir
  10. Leio todas suas postagens e quando não tem postagem nova, me aventuro pelas postagens antigas.

    E não, não cheguei a desconfiar que fosse outra pessoa. Mas estranhei bastante, não achei seu estilo, não achei seu modo de escrever...
    Mas achar que fosse outra pessoa? Não passou pela minha mente. Não sou criativa!

    Até falei pra minha irmã: Sabe aquele blog que gosto, da garota que gosta de pôneis? Na última postagem, achei o post dela bem estranho. Aí, ela fez um post novo explicando que era pegadinha. Outra pessoa que escreveu.

    Explico o garota que gosta de pôneis: É que outro dia, amostrei seu blog e ela ficou surpresa "como assim gosta de pôneis?". Haha.

    Enfim, sou outra leitora fantasma. Só que agora você já sabe.

    ResponderExcluir
  11. [off]Analu me mata de lindeza com o comentário dela, gentem![/off]

    Anninha, minha flor. Nem em um minuto desconfiei de você! Você conseguiu arrasar mesmo sainda total do estilo que eu costumo ver nos seus textos! O da Rhai, como eu comentei, senti falta de um toque annesco. Mas esse, só você tem mesmo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Estou lendo vários posts "fakes" desde ontem, hahaha, eu adorei essa pegadinha, muito divertido!

    ResponderExcluir