segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Aquela vontade de tomar Fanta Uva

Algumas vontades vem do nada, você está lá cuidando da sua vida e de repente precisa de um pedaço de bolo de chocolate como se sua vida dependesse disso. Ou então você está com seus amigos e a conversa leva todos a se lembrar de como o sexto filme do Harry Potter é legal e você conclui que não vai conseguir dormir se não assistir de novo a cena da Hermione com o cabelo armado tentando fazer uma poção. Algumas dessas vontades que vem do nada são tão fortes que precisariam ser escritas em caixa alta, porque é como se todas as nossas células, em conjunto, tirassem dois, três, trinta minutos para desejar algo em uníssono e essas grandes VONTADES se diferenciam dessas que a gente tem o tempo inteiro. Se me perguntarem se tenho vontade de conhecer o Rio de Janeiro, por exemplo, é claro que eu vou dizer que sim, mas não é como se eu tivesse passado boa parte do meu dia pensando nisso.

Mas, quando a VONTADE bate, é como se aquele banho de piscina fosse tão urgente quanto uma bexiga inchada dentro da gente que precisa ser esvaziada, e a frustração dela é quase tão desagradável quanto fazer xixi nas calças. Sofrer de vontades é quando você precisa muito de uma coisa para ser feliz exatamente naquele instante e sabe exatamente o que te falta, o oposto daquele momento em que você abre a geladeira morrendo de fome mas não consegue se decidir entre um danoninho ou um pedaço daquela torta de frango do almoço. Quando a VONTADE bate você sente como se por alguns segundos ela estivesse sendo satisfeita, só para depois voltar ao inferno de querer e talvez não poder: é mais ou menos o que eu sinto quando alguma dessas fotos de praia no Instagram me pega de jeito  e a única coisa que eu quero na minha vida, como um último pedido antes da cadeira elétrica, é entrar no mar. Sinto a areia sob meus pés, o balanço das ondas, aquele geladinho na barriga pelo contato da água fria com o corpo quente, o gosto do sal, a sensação de relaxar o corpo e deixar a onda passar por cima. Então eu abro os olhos e estou dentro do ônibus a caminho da aula de francês e a sensação é como se eu tivesse feito xixi nas calças no meu primeiro dia de aula numa escola nova. 

A única coisa boa de sofrer assim nesses breves segundos é quando temos a chance de fazer aquilo que deu VONTADE no exato momento da urgência. Lembrar que aquele filme que você quer tanto assistir tem no catálogo do Netflix, achar a Trakinas com recheio de morango no armário de casa, passar na padaria e ter bolo de limão fresco, espirrar na hora certa, a aula acabar no minuto que você conclui que não aguenta mais ficar na sala, o telefone tocar e ser quem você espera, fazer xixi quando a coisa aperta. Satisfazer a vontade com um pouquinho de atraso não é tão ruim quanto não realizar aquilo de jeito nenhum, mas não chega nem perto do prazer que é matar aquilo que estava nos matando antes do primeiro golpe do adversário. 

Algumas vontades vem do nada. Uma vez eu estava parada numa fila há uns quarenta minutos, cansada depois de um dia inteiro de aula, e uma colega que estava atrás de mim disse que a única coisa que ela queria naquele momento era tirar a roupa e sair correndo gritando e, meu Deus, como eu quis fazer a mesma coisa! Tem dias que bate uma vontade se trancar no quarto e não falar com ninguém por quinze dias, em outros eu queria passar uma semana inteira olhando o mar sem ser interrompida. Ultimamente todas as conversas que tenho me lembram que estou com vontade de reler Harry Potter desde o primeiro livro e às vezes eu quero largar tudo para ler Lolita de novo. Às vezes minha vontade, na verdade, é uma não vontade extrema de não sair cama, e em outros dias eu queria ter um jatinho para passar o fim de semana em Moscou e quem nunca quis casualmente se retirar da sala no meio da aula e simplesmente ignorar aquela disciplina para todo sempre, amém? Eu tenho muita vontade de entrar dentro do computador e viver dentro daquele seriado, de dar um abraço apertado nas minhas amigas que moram longe, ou um beijo de cinco minutos inteiros naquela pessoa da foto e do status de duas ou três linhas no Facebook. 

Na maior parte das vezes eu sento e espero a vontade passar porque não há nada mais a ser feito ou, como a Clarice Falcão sugere, dou meia volta e como uma torta inteira de amora no jantar. Mas tem dias que a vida é mais simples e nesse bolo de vontades que vem do nada surge o desejo de tomar Fanta Uva. "Apenas o fim" está longe de ser um dos meus filmes favoritos, mas eu gosto bem mais dele por causa desse diálogo em que o Gregório Duvivier diz que ele é como essa vontade que bate de repente de tomar Fanta Uva, porque nossa, senti exatamente o que ele quis dizer. Fanta Uva, no geral, é bem ruim, mas tem dias em que eu simplesmente preciso tomar, como se minha vida dependesse disso. 

E como naquele delírio sensorial que vira e mexe eu tenho com o mar, eu lembro da minha infância, dos sabores excêntricos de refrigerante, da minha mania de misturar todos eles para ver no que dava e em como eu sempre pedia para minha mãe comprar Fanta Uva no supermercado e ela nunca me atendia. Lembro das férias em Bertioga que minha avó deixava que eu e meu primo escolhêssemos qualquer coisa da máquina de refrigerante e a gente sempre escolhia Fanta Uva e morria de rir porque ela estava meio azul de tanto bater dentro da máquina. Semana passava eu tive vários picos de vontade de tomar Fanta Uva, um pouquinho a cada dia, então na sexta-feira eu saí da aula, passei na cantina e comprei uma lata, a qual eu tomei inteira quase que num gole só, enquanto meus amigos me julgavam porque gente, quem é que toma uma lata inteira de Fanta Uva?

Tomei, tomaria de novo e fui muito feliz por isso. Algumas vontades vem do nada e tem dias que eu queria ficar sem falar com ninguém por quinze dias, em outros eu queria abraçar quem está longe e não é raro eu querer jogar tudo pro alto, tirar a roupa e sair gritando, ou então entrar num avião com destino a felicidade. Mas, às vezes, a vida é surpreendentemente simples e bate aquela vontade de tomar Fanta Uva e que bom que a cantina é logo ali. 

11 comentários:

  1. Você é definitivamente brilhante! Adorei o texto, adoro o modo como você escreve sobre coisas simples e as torna sensacionais, e tô aproveitando que pela primeira vez na vida consegui comentar primeiro num post seu (queria mandar um beijo pra minha mãe, pro meu pai, pro meu tio...) pra deixar isso bem claro. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Meu comentário está saindo atrasado porque parei no meio do post pra ligar pra minha vovó! Estou ameaçando ligar a 10 dias, morrendo de vontade, e não tinha feito isso ainda. Seu post me fez tomar vergonha na cara e minha vida é mais feliz agora que escutei a voz da vovó mais deliciosa do mundo todo.
    Amiga, essas vontades que vem do nada me dominam e me deixam absolutamente maluca! Um dia vi uma foto de um pacote de ruffles cebola e sala no instagram e PIREI! Nem gostava dessa batata antes, mas fiquei completamente surtada, liguei pro Rô (estávamos no trabalho) e pedi pra ele ir no posto comprar um pacote enorme e uma lata de coca. Ele foi e eu me refastelei com as batatas como se elas fossem o melhor alimento do mundo.
    E nem me fale na vontade de entrar dentro do computador e abraçar as amigas, porque já dormi chorando de vontade abraçar vocês. NEM ME FALE TAMBÉM na vontade de dar um beijo de 5 minutos na pessoa da foto do facebook. E, puxa, pegar um avião rumo à felicidade...
    Enquanto isso não é possível, ficamos com as ruffles de cebola e salsa e a lata de fanta-uva (que eu acho injustiçada, porque gosto muito mais dela que da fanta-laranja!)
    beijo! te amo!

    ResponderExcluir
  3. Não gosto de Fanta Uva, mas entendi o espírito. Estou cansada de ter essas vontades também, e na maior parte das vezes me sinto frustrada.

    Não seria muito mais legal a gente escolher querer comer chocolate justamente quando a barra está na mão?

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. O que aconteceu com o mundo agora? Por que todo mundo simplesmente PRECISA de uma fanta usa no meio da tarde? HAHAHAHAHAHA
    Tem dias que dá uma vontade louca de tomar o café da faculdade, ou de comer o bolo da minha vó. Ou de assistir a um episódio de Community. Suco de caju também me faz correr pro mercado ou lanchonete mais próxima. A única VONTADE que eu não gosto de ter é a de suco de morango ao leite do Bibi. Essa vontade eu só mato quando vou ao Rio. E como é difícil colocar a cabeça no travesseiro com a vontade do suco de morango ao leite a vários quilômetros de distância.
    Essa semana de crônicas tá sendo divertidíssima. <3

    ResponderExcluir
  5. Para mim geralmente essas vontades desesperadas acontecem APENAS quando eu não posso fazer nada para saciá-las. O que é quase sempre de madrugada, lá pelas 3 da manhã. Tipo agora que são 02:10 eu estou com VONTADE de andar de bicicleta com os olhos fechados e os braços abertos sentindo o vento no rosto. Mas tem condições um negócio desses? Não tem! O máximo que eu conseguiria a essa hora é um assalto ali na esquina, sabe? Altamente frustrante. Eu entendi e senti todo teu texto.
    E, gente. Fanta Uva é bom. Desculpa sociedade, mas eu gosto e tomo uma lata inteira sempre que eu posso, intercalando com Coca Cola. HAHAHA

    Beijo, sua gênia. <3

    ResponderExcluir
  6. E se eu contar que tomei cerveja há algum tempo, achei tenebroso, mas volta e meia acordo com uma vontad einsana de tomar cerveja? O problema é que é ruim, daí eu tomo meio copo, distribuo o resto e vou beber outra coisa. É só pra matar a vontade mesmo! HAHAHAHA
    Essas vontades que a gente consegue sanar são sensacionais <3
    Mas fanta uva tem cara de ser ruim.
    hahahahaha
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Esse post foi meio que um destino, que hoje mesmo na aula eu desejei bolinha de queijo hahaha

    ResponderExcluir
  8. Entendo a vontade de Fanta Uva. Não sou fã, mas minha mãe adora, haha!
    A maioria dessas vontades que vem do nada acontece quando eu não posso saciá-las, principalmente, no trabalho. Outro dia, do nada, me bateu uma vontade louca de comer bolo de laranja, mas aqueles prontos da Panco, sabe? Não deu outra e no sábado tava eu felizona na padaria comprando um bolo daqueles, hahaha.
    Outra vontade que acontece comigo é de ir a praia, e olha que eu posso fazer isso todo final de semana, mas a vida é corrida demais, ô gente. :~

    ResponderExcluir
  9. Entendo a vontade de Fanta Uva. Não sou fã, mas minha mãe adora, haha!
    A maioria dessas vontades que vem do nada acontece quando eu não posso saciá-las, principalmente, no trabalho. Outro dia, do nada, me bateu uma vontade louca de comer bolo de laranja, mas aqueles prontos da Panco, sabe? Não deu outra e no sábado tava eu felizona na padaria comprando um bolo daqueles, hahaha.
    Outra vontade que acontece comigo é de ir a praia, e olha que eu posso fazer isso todo final de semana, mas a vida é corrida demais, ô gente. :~

    ResponderExcluir
  10. O que falar sobre esse texto? Adorei! Como você consegue se superar sempre? haah bjs

    followingthesnow.blospot.com

    ResponderExcluir